A Idéia da Universalidade da Ciência e sua Crítica Filosófica e Histórica

Michel Paty
1997 Discurso  
A idéia da "universalidade da ciência" é objeto, nos debates atuais, de posições muito opostas, que dependem de o ponto de vista ser o de uma "ciência ideal" ou aquele da "produção social das ciências". No primeiro caso, a ciência é concebida como o "núcleo duro" de suas proposições e de seus resultados na época considerada, e sua suposta universalidade ignora os fatores que tornam relativos seus conteúdos de conhecimento e que podem ser tanto de natureza conceitual como social. Inversamente,
more » ... al. Inversamente, uma atenção exclusiva com os aspectos sociais da produção dos conhecimentos científicos ignora o caráter objetivo daqueles conteúdos de conhecimento, que tanto tratam dos objetos do pensamento, como aqueles da matemática, quanto dos fenômenos do mundo real, sejam psicobiológicos, sejam humanos e sociais. Essas duas posições extremas, caricaturais e, entretanto, frequentemente encontradas ilustram a ausência ou o desconhecimento de análises interdisciplinares entre a filosofia, a ciência e a história da ciência.Consideraremos inicialmente alguns elementos das criticas que são feitas à universalidade da ciência, tal como a entendemos hoje, e que provêm da filosofia do conhecimento, sociologia do conhecimento, história da ciência, história e antropologia. Tentaremos, então, estabelecer o problema da universalidade da ciência como uma idéia filosófica intimamente vinculada à ciência e à filosofia, desde sua génese. Através das diferentes etapas da história do pensamento, confrontaremos o enunciado filosófico da universalidade da ciência com a realidade histórica da produção, difusão e assimilação ou apropriação do conhecimento científico concebido segundo suas diferentes dimensões, incluindo suas aplicações e suas ligações com a técnica e a tecnologia.
doi:10.11606/issn.2318-8863.discurso.1997.38018 fatcat:wgywnfyygrfzbcoielnq66x2qa