A SOCIOLOGIA DA ARTE E SUAS CONTROVÉRSIAS

Antonio Da Silva Câmara, Glaucia Villas Bôas, Bruno Vilas Boas Bispo
2020 Caderno CRH  
Durante muito tempo, a filosofia se encarregou de definir o lugar da arte e seus limites com relação a outras práticas sociais. Empreendeu um grande esforço para delimitá-la em uma esfera específica e segura, isolada da vida quotidiana e restrita a regras consideradas legítimas (Erber, 2015). Os filósofos defenderam a arte desinteressada e autônoma, concepção posteriormente criticada pelos sociólogos, cujas pesquisas apontaram para os vínculos da arte com o mundo social. Não obstante, a
more » ... obstante, a filosofia deixou seu legado tanto na origem como no desenvolvimento da sociologia da arte. Tal herança se inscreve na controvérsia continuamente renovada entre a análise interna e externa das obras, que reatualiza as proposições de Kant (2009) e Hegel (1996) sobre a arte. A concepção kantiana de uma arte desinteressada e autônoma, a partir de sua formulação acerca do juízo de gosto, tornou-se uma referência para os debates sociológicos que propugnavam, ao contrário, o estudo das conexões da arte -música, literatura, pintura -com o mundo social ao seu redor. Pierre Bourdieu deixou evidente seu enfrentamento com os problemas kantianos, sobretudo em A Distinção: ... a crítica social ao julgamento do gosto, no qual afirma que o livro contribui para: ambição excessiva de dar uma resposta científica às velhas questões kantianas da crítica do juízo, ao procurar na estrutura das classes sociais a base dos sistemas de classificação que estruturam a percepção do mundo social e designam os objetos do prazer (enjoyment) estético (Bourdieu, 2002, p. xiii -xiv, tradução nossa).
doi:10.9771/ccrh.v32i87.33244 fatcat:wjvn7ru43vaz3cbdxz57zbknbu