DO MODELO FECHADO PARA O MODELO ABERTO DE INOVAÇÃO NO SETOR FARMOQUÍMICO E FARMACÊUTICO BRASILEIRO. O QUE OS CUSTOS DE TRANSAÇÃO TEM A VER COM ISSO?
PORTUGUES

F. G. P. Moreira, A. L. V. Torkomian, T. J. C. C. Soares
2015 Revista GEINTEC  
Resumo Por meio da análise das relações entre a inovação aberta e as linhas de análise do neoinstitucionalismo, o objetivo principal deste artigo é contribuir para o avanço na compreensão dessas teorias. Esse avanço se dará na medida em que, neste texto, serão desenvolvidas proposições que relacionam importantes dimensões da teoria dos custos de transação, com o desempenho inovador de parcerias e a intensidade e a variedade com as quais empresas desenvolvem parcerias com fontes externas de
more » ... es externas de conhecimento. As proposições poderão ser testadas empiricamente em forma de hipóteses, em futuras pesquisas. Para tanto, foi utilizada a base de dados da PINTEC/IBGE, mais especificamente os setores da indústria de transformação brasileira, cobrindo o período entre 2000 e 2011. Os métodos aqui empregados, em primeiro lugar, extraíram da base de dados algumas variáveis proxy (variáveis representantes) dos construtos teóricos aqui estudados e relacionados às atividades inovativas de cada um dos setores. Em segundo lugar, foram criados três critérios classificatórios, ranqueados a partir de estatística descritiva dos indicadores desses construtos teóricos, com o objetivo de selecionar um determinado setor. O setor farmoquímico e farmacêutico brasileiro foi selecionado para o desenvolvimento da análise. A partir do ambiente institucional que impactou e foi impactado por esse setor, foram propostas as possíveis conexões entre as dimensões da teoria dos custos de transações e a teoria da inovação aberta. Tais conexões foram tratadas como importantes variáveis que podem influenciar a provável migração do modelo fechado, para o modelo aberto de inovação, no citado setor. Palavras-chave: inovação aberta; custos de transação; setor farmoquímico farmacêutico. Abstract Departing from analytical framework of the relationship between open innovation and the analytical lines of the neoinstitutional organization theory, the main goal of this study is to contribute to the advance in understanding these theories. These advances will occur to the extent that, in this text, propositions will be developed relating important dimensions of the transaction costs theory, with the innovative performance of partnerships and the intensity and variety with which firms develop partnerships with external sources of knowledge. The propositions can be empirically tested as hypotheses in future research. Therefore the PINTEC/IBGE dataset, specifically the brasilian manufacturing industry which covered the period between 2000-2011 was used. The methods applied here, firstly, extracted from the dataset some proxy variables that represent the theoretical constructs studied here and related to the innovative activities of each of the sectors. Second, three classification criteria were created, regard to a statistical descriptive of these construct's indicators, in order to select a particular industry. The brasilian pharmochemical pharmaceutical industry was selected to develop the analysis. From the institutional environment that impacted and was impacted by this industry, the possible connections between the dimensions of the transaction costs theory and the open innovation theory were proposed. Such connections were treated as important variables which can influence the probable migration of the cited industry, from the closed model to the open innovation model.
doi:10.7198/s2237-0722201500030019 fatcat:tievwuqf75gudh44gi65ctw2ty