Les Maîtres Fous, de Jean Rouch: questões epistemológicas da relação entre cinema documental e produção de conhecimento

Paulo Menezes
2007 Revista Brasileira de Ciências Sociais  
um ritual realizado por determinada população oriunda das matas da África, o termo é do próprio Rouch, ritual este que é fruto do choque com a civilização mecânica nas cidades. A outra, radicalmente diversa, aponta para a recepção que este filme teve nos cinemas de Paris e de outras partes do mundo, entre os quais se destacam também cineastas e intelectuais universitários africanos negros, para os quais o filme mostrava uma visão negativa da África Negra e de suas populações, ao mostrá-los como
more » ... ao mostrá-los como pessoas bárbaras e selvagens, primitivas em seus ritos e não civilizadas em suas maneiras. 1 Essas duas leituras opostas levantam, para o analista, o problema de investigar os fundamentos, dentro da constituição do filme, que tornaram possíveis interpretações tão diversas a partir de um mesmo conjunto e de uma mesma articulação de imagens, o que extrapola em muito o que se poderia esperar de meras flutuações de constituição de sentido a partir de referências a valores diferen-
doi:10.1590/s0102-69092007000100007 fatcat:bqaubrh4bfc4jnh6glr7hvspve