Uma passagem de Porfírio relativa ao Śiva andrógino dos brâmanes da Índia

Joachim Lacrosse
2008 Kriterion  
RESUMO Em um fragmento do Péri Stugos consagrado aos Indianos (376F Smith), que se baseia em um testemunho de Bardesano redigido próximo a 220 d.C, Porfírio menciona a existência de uma estátua representando um deus andrógino. Essa passagem é um traço interessante do tipo de conhecimento que se podia ter em Roma sobre as religiões da Índia. O contexto do relato é romano, mas a citação de Bardesano comporta elementos especifi camente indianos. A descrição do santuário evoca um local de culto
more » ... local de culto shivaísta. Particularmente, a estátua corresponde, traço por traço, a uma manifestação importante do deus Śiva: Ardhanārīśhvara, o "Senhor metade fêmea", símbolo da unidade das funções masculina (concepção, princípio) e feminina (engendramento, energia) do divino. O tema da dualidade emergindo da unidade indiferenciada e voltando a ela é um traço comum do neoplatonismo e dos pensamentos da Índia. Em um discípulo de Plotino e no contexto sincrético da época, a menção entusiasta de uma tal representação da unidualidade divina poderia ser explicada por afi nidades ideológicas, sem que se deva falar de "infl uências".
doi:10.1590/s0100-512x2008000100013 fatcat:5is34tgqcffudpje4m4crhbvey