O neoliberal disfarçado ou os percalços de uma certa lógica

Luiz Carlos Bresser Pereira
1999 Lua Nova: Revista de Cultura e Política  
46/1999. Réplica ao artigo "O Discurso da Nova Administração Pública", publicado no n° 45/1998, no qual foi feita uma crítica às posições expressas no artigo "A Reforma do Estado dos anos 90: Lógica e Mecanismos de Controle", publicado no mesmo número. Imagine a seguinte situação: você, leitor, vivia nos anos 50, Stalin estava no poder, e você se opunha sempre à proposta comunista, através dos seus escritos, de suas palavras, e de suas ações políticas concretas como o voto, a participação em
more » ... participação em reuniões, a assinatura de manifestos. Entretanto você compartilhava com os comunistas a idéia de que o Estado deve garantir de forma universal saúde para todos. Nesse momento, não importando que sua proposta de como garantir a universalidade da saúde fosse muito diferente da estalinista, surgem dois acadêmicos e escrevem um longo artigo dizendo: você é um comunista; um estalinista disfarçado; você simula ser democrático e progressista, mas, como você é a favor da saúde pública e universal, você logicamente defende a ditadura do proletariado, e portanto, ainda que no mais você pareça não ser estalinista, você é de fato estalinista. Surpreendido, você reage: quem disse que eu defendo a ditadura do proletariado: eu sempre me manifestei contra isto, de forma absolutamente clara. Não importa, dizem os seus críticos. É preciso ver por trás das palavras e dos atos. Você está propondo um sistema de saúde universal, e nós sabemos que só defensores da ditadura do proletariado podem propor tal reforma. Logo você é a favor da ditadura do proletariado, e portanto é comunista. Mais cientificamente, é um estalinista que pratica "atos perlocussionais". Leia Habermas e John Austin para saber do que se trata. São os atos que ocorrem quando o ator, envolvido em ação estratégica ao invés de em ação comunicativa, não declara ou admite seus objetivos como tais. Você quer parecer democrata, fala como democrata, age como democrata, recusa expressamente a proposta da ditadura do proletariado,
doi:10.1590/s0102-64451999000100011 fatcat:6kpmsp2d35bljb7osyadkcaoge