Palliative extubation: case analysis in an Intensive Care Unit
Extubação paliativa: análise de casos em uma Unidade de Terapia Intensiva

Gustavo Rebelatto, Rachel Duarte Moritz
2017 O Mundo da Saúde  
Current technological advancements have allowed for the prolongation of the dying process, especially in Intensive Care Units (ICU). This has increased the need for decisions on the limitation of therapeutic effort (LTE), such as the use of palliative extubation that, although difficult from an emotional standpoint, has legal and ethical justifications, and has increased family acceptance. The objective was to evaluate the clinical and demographical profile of patients submitted to palliative
more » ... ted to palliative extubation (PT) in the were included in the study. The use of PT and clinical and epidemiological data were collected. LTE was indicated in 374 (53.8%) patients, with 23 (6.1%) receiving PT. Average age of patients undergoing PT was 73.8 years; 10 patients were over 60, and 9 were over 80 years of age. Ten (43.4%) patients had been previously in the ICU. The average time from checking in at the ICU and extubation was 4.4 days, and between extubation and death it was 2.5 days. Neurological disease was the main cause of death of patients subjected to PT. All family members were aware of the extubation. Family members from 2 families witnessed the extubation. Morphine was the most common analgesic prescribed. It is concluded that patients submitted to PT were older, with neurological diseases, and the average time from extubation to death was 2.5 days Resumo O desenvolvimento tecnológico do mundo atual tem permitido o prolongamento do morrer, principalmente em unidades de terapia intensiva (UTI). Torna-se crescente a necessidade de decisões de limite de esforço terapêutico (LET), do qual se destaca a extubação paliativa (EP), que embora difícil de ser aceita do ponto de vista emocional, tem respaldo éticolegal e aumenta a satisfação familiar. O estudo teve como objetivo avaliar o perfil clínico-demográfico dos pacientes extubados paliativamente (ExPl) na UTI do HU/UFSC. Trata-se de coorte histórico, cujos dados foram coletados através das fichas preenchidas por médicos intensivistas que constituem a Comissão de Óbito da instituição. Foram incluídos os pacientes que morreram na UTI/HU/UFSC, após indicação de LET, entre janeiro/2011 e dezembro/2014. Foram selecionados os pacientes que foram ExPl, sendo anotados seus dados clínicos e epidemiológicos. LET foi apontado em 374 (53,8%) pacientes, sendo 23 (6,1%) ExPl. A média da idade dos ExPl foi de 73,8 anos, 10 tinham mais de 60 e 9 mais de 80 anos. Dez (43,4%) pacientes já haviam sido internados previamente em UTI. O tempo médio entre a internaçãoextubação foi 4,4 dias e entre extubação-morte foi de 2,5 dias. Doença neurológica foi a principal causa da morte dos pacientes ExPl. Todos os familiares estavam cientes da EP. Familiares de 2 pacientes acompanharam a EP. Morfina foi a medicação analgésica mais prescrita. Concluiu-se que os pacientes que foram ExPl eram mais idosos, acometidos preferencialmente por doenças neurológicas e o tempo médio entre a EP e óbito foi de 2,5 dias. Palavras -chave: Cuidados paliativos. Doente terminal. Extubação. Suspensão de tratamento. Futilidade médica. O Mundo da Saúde, São Paulo -2017;41(3):385-394
doi:10.15343/0104-7809.20174103385394 fatcat:kwvzabdggrh63arzisggglf7z4