Violência doméstica contra mulheres rurais: interfaces de gênero na concepção de agentes comunitários de saúde/Domestic violence against rural women: gender interface in community health agents' conception

Jaqueline Arboit, Marta Cocco da Costa, Maiara Carmosina Hirt, Stela Maris de Mello Padoin, Isabel Cristina dos Santos Colomé, Joannie Dos Santos Fachinelli Soares
2015 Ciência Cuidado e Saúde  
RESUMO Buscou-se analisar as concepções de violência doméstica contra mulheres rurais na expressão de Agentes Comunitários de Saúde em dois municípios da região Noroeste do Rio Grande do Sul. Estudo exploratóriodescritivo, com abordagem qualitativa e produção dos dados por meio de Grupo Focal e de entrevistas semiestruturadas, no período de julho a agosto de 2013. Os participantes do estudo foram treze Agentes Comunitários de Saúde que desenvolvem suas atividades em áreas rurais desses
more » ... ais desses municípios. A análise dos dados foi realizada mediante a Análise de Conteúdo Temática. Os resultados apontaram que as mulheres que residem no meio rural estão permanentemente sujeitas a diversas formas de violência doméstica, como agressão física e psicológica, sobrecarga de trabalho e privação da liberdade. Considera-se que o Agente Comunitário de Saúde, com o auxílio de outros profissionais da equipe de saúde, possui possibilidades de buscar alternativas de transformação das situações de violência vivenciadas pelas mulheres nesse contexto. Palavras-chave: Violência Contra a Mulher. Violência Doméstica. Agentes Comunitários de Saúde. INTRODUÇÃO No Brasil e no mundo, a violência tem sido tema de discussões, estando presente em suas diferentes formas, tanto na área urbana quanto no campo (1) . Em se tratando da violência praticada contra a mulher, destaca-se que o domicílio compreende o seu principal lócus de ocorrência (2) . A violência doméstica contra a mulher é compreendida como qualquer ação ou omissão praticada no ambiente doméstico, familiar ou das relações íntimas de afeto, e que acarrete danos de natureza física, sexual, psicológica, moral ou patrimonial, além da morte (3) . Destaca-se que este tipo de violência tem vinculação direta com as concepções de gênero, reconhecido como um componente integrante de relações sociais alicerçadas em discrepâncias assinaladas entre os sexos e nas relações de poder introjetadas no imaginário social (4) . Como categoria analítica e histórica, o gênero presume entender as relações instauradas entre os sexos no contexto da sociedade a partir das divergências biológicas e sociais entre mulheres e homens, cuja análise permite inferir que a distribuição do poder ocorre de forma heterogênea entre os sexos, em que a figura feminina se encontra de forma naturalizada em uma posição subalterna (4, 5) . Situando o cenário rural, as mulheres em situação de violência doméstica residentes nesta área apresentam dificuldades em acessar rápida e eficientemente serviços municipais, estaduais ou federais para atendimento, o que contribui para a ampliação dos índices de violência e a impunidade do agressor (6) . Além disso, a
doi:10.4025/cienccuidsaude.v14i2.23650 fatcat:gtyyaye3zzdpjjf5f2asnac6hq