As Artes na Educação Médica: Revisão Sistemática da Literatura

Lúcia Trindade da Silva Mairot, Beatriz Biasi Gin da Costa, Thaís Pedrosa Moraes Heringer, Raquel Camargos Borges, Eliane Perlatto Moura
2019 Revista Brasileira de Educação Médica  
RESUMO Introdução A introdução das artes no currículo médico tem despertado interesse crescente, uma vez que estas apresentam qualidades únicas que podem auxiliar no desenvolvimento dos aspectos sociais da prática médica, oferecendo maneiras novas e distintas de exploração do conhecimento e da identidade profissional. Objetivo Avaliar a eficácia da utilização das artes no currículo médico por meio de uma revisão bibliográfica. Metodologia As bases de dados Lilacs, SciELO, PubMed e Eric foram
more » ... Med e Eric foram pesquisadas para artigos publicados sobre estudos que tentaram avaliar a eficácia de uma abordagem baseada em artes na educação médica de graduação. Outros artigos foram identificados por meio de busca ativa. Foram utilizados os seguintes descritores (art or visual arts or paintings or literature or narrative or poetry or theatre or movies or films or cinema) AND (medical education or medical student or medical curriculum). Foram incluídos somente os artigos cujo estudo foi realizado com estudantes de Medicina e cuja eficácia da intervenção foi avaliada por comparação entre grupos (estudos quantitativos) ou pela satisfação do estudante de Medicina por questionário (estudos qualitativos). Os artigos selecionados foram lidos na íntegra por dois pesquisadores, de modo a identificar o tipo de arte utilizada na intervenção, o autor, a amostra, a metodologia e a conclusão sobre a atividade relatada. Resultados Foram incluídos 28 artigos no estudo, distribuídos de acordo com o tipo de arte utilizada: (n = 16) artes visuais; (n = 6) literatura; (n = 3) teatro; (n = 3) cinema. As competências educacionais sensíveis às artes relatadas nos estudos avaliados foram: habilidades de observação diagnóstica, trabalho em equipe, reflexão e argumentação; facilitar o aprendizado cognitivo; aspectos humanísticos da medicina (empatia/relação médico-paciente); profissionalismo. Alguns estudos afirmam que as intervenções baseadas em artes são eficazes na alteração de atitudes, entretanto não definiram como esse sucesso foi medido. Nenhum estudo considera os efeitos sobre o comportamento. As evidências para o uso de intervenções baseadas em artes para promover habilidades de observação diagnóstica mostraram ser mais fortes. No entanto, seu efeito em outras habilidades clínicas não foi estudado. Conclusão A arte pode ser uma estratégia facilitadora do aprendizado, uma vez que auxilia o estudante a lidar com a complexidade do ser humano e da saúde humana. Este conhecimento mais amplo sobre a saúde e a doença pode levar à melhoria da relação médico-paciente na prática clínica. Entretanto, devido à natureza qualitativa da maioria dos estudos, baseados principalmente na opinião do estudante sobre as modificações ocorridas em suas atitudes, a eficácia das intervenções nem sempre foi efetivamente demonstrada.
doi:10.1590/1981-52712015v43n4rb20180146 fatcat:a2s3s4ene5dchizsite7l4avum