O discurso como modo de existência/resistência: da literatura às manifestações nas ruas em 2018

Karina Luisa De Freitas Assunção
2019 Revista Heterotópica  
O presente texto tem como objetivo tecer uma reflexão sobre os sentidos que emergem de alguns enunciados do romance de José Saramago, juntamente com outros selecionados de cartazes que circularam em alguns movimentos sociais brasileiros arrolados no final do segundo semestre de 2018. Problematizaremos a constituição da subjetividade e sua relação com o poder, existência e resistência na contemporaneidade. As reflexões serão fundamentadas teoricamente na análise do discurso de linha francesa,
more » ... linha francesa, nos estudos de Michel Foucault e Judith Butler. Concluímos que o funcionamento de um dado discurso é da ordem da guerra, como afirmou Foucault ao longo de suas pesquisas. Existir/resistir as suas nuanças se faz uma constante e se fundamenta em um movimento que não temos como prever os caminhos, muito menos os resultados, uma vez que será sempre da ordem do devir. Entretanto, resistir ao poder sempre, pois só assim existiremos enquanto sujeitos constituídos historicamente.
doi:10.14393/htp-v1n2-2019-52111 fatcat:ft5tgwzi3rg5xf24vlrcutcfna