A AFETIVIDADE E SUA INFLUÊNCIA NO PROCESSO DA APRENDIZAGEM NAS CRIANÇAS

Rayara Nogueira de Sousa, François Silva Ramos, Francisca Semirames Nogueira de Sousa
2018 Revista Expressão Católica  
O presente artigo apresenta uma investigação sobre a influência da afetividade no avanço da aprendizagem nas crianças. Pretende-se com esta pesquisa, investigar como as situações de sala de aula ou no interior da escola podem influenciar ou interferir na aprendizagem do educando. Acreditamos que os afetos e emoções são partes integrantes da nossa vida psíquica, e compreendemos que o afeto é um elemento primordial em qualquer relação humana; este necessita estar presente em todas as etapas da
more » ... das as etapas da vida do sujeito. Porém, ao considerarmos essas afinidades, compreendemos que existe um certo distanciamento da afetividade; a implicação é visível, muitas crianças se tornam adultos em miniaturas, e muitas vezes com um comportamento retraído ou agressivo. Torna-se vital, portanto, entender a importância da presença de um espaço favorável ao exercício do afeto e emoções na vida do aluno. O trabalho exposto se fundamenta numa pesquisa bibliográfica. Para tanto, procuramos fundamento nas teorias de Wallon (1998), Vygotsky (1992) e Piaget (2000), que discorrem acerca da dimensão da afetividade no processo de ensino-aprendizagem, e coloca a ação do professor como fator definitivo neste processo. Para tanto, nesta pesquisa postulamos ser a afetividade uma ferramenta essencial ao desenvolvimento da criança com mediação do professor, haja vista a aprendizagem ser sensível a possibilidades que prevejam interesse constante no bem-estar da criança. AFFECTIVITY AND ITS INFLUENCE IN THE CHILDREN'S LEARNING PROCESS ABSTRACT This paper presents an investigation about the influence of affectivity on the advancement of learning in children. It is intended, with this research, to investigate how the situations of classroom or in the interior of the school can influence or interfere in the student's learning. We believe that affections and emotions are parts that integrate our psychic life, and we understand that affection is a primordial element in any human relationship; this needs to be present in all stages of the individual's life. But when we consider these affinities, we understand that there is a certain detachment from affectivity; the implication is visible, many children become adults in miniatures, and often with a shy or aggressive behavior. It is therefore vital to understand the importance of the presence of a space favorable to the exercise of affection and emotions in the student's life. The work presented is based on a bibliographical research. In order to do this, we seek to base Wallon's (1998), Vygotsky (1992) and Piaget (2000) theories on the dimension of affectivity in the teaching-learning process and place the teacher's action as a definitive factor in this process. For this, in this research we postulate that affectivity is an essential tool for the development of the child with teacher's mediation, since learning is sensitive to possibilities that predict a constant interest in the child's well-being.
doi:10.25190/rec.v7i2.2432 fatcat:q6mzdn3ifrdqjjiq7wqvuec4be