Tratamento do laringoespasmo em anestesia pediátrica por digitopressão retroauricular: relato de casos

Raquel Reis Soares, Eliana Guimarães Heyden
2008 Revista Brasileira de Anestesiologia  
Rev Bras Anestesiol INFORMAÇÃO CLÍNICA 2008; 58: 6: 631-636 CLINICAL REPORT RESUMO Soares RR, Heyden EG -Tratamento do Laringoespasmo em Anestesia Pediátrica por Digitopressão Retroauricular. Relato de Casos. JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Os problemas com a via aérea pediátrica estão entre os maiores desafios que o anestesiologista pode encontrar em sua prática clínica. Dentre eles, destaca-se o laringoespasmo, que ocorre com freqüência duas a três vezes maior na população pediátrica. O objetivo
more » ... trica. O objetivo deste trabalho foi relatar o tratamento de laringoespasmo realizado com digitopressão de ponto localizado atrás do lóbulo da orelha. A técnica é fácil, antiga, porém pouco divulgada. Pode ser utilizada de forma segura e rápida, dispensando o acesso venoso periférico que, em algumas situações, pode estar ausente. RELATO DOS CASOS: Dois casos de anestesia pediátrica em pacientes de 3 anos e de 6 meses de idade, nos quais ocorreu laringoespasmo. Ambos foram tratados apenas com a digitopressão da depressão retroauricular e evoluíram com pronta melhora do padrão respiratório e da saturação arterial de oxigênio. Como o laringoespasmo é complicação comum e potencialmente grave pela sua morbimortalidade, é necessário tratamento seguro, eficaz e rápido. CONCLUSÃO: O tratamento clássico do laringoespasmo é a administração de oxigênio a 100% com pressão positiva por unidade ventilatória (balão e máscara) e, se não houver resposta, administração venosa de 0,25 a 1 mg.kg -1 de succinilcolina. A técnica apresentada para tratamento do laringoespasmo é fácil, segura e eficaz, e realizada com digitopressão bilateral da região localizada atrás do lóbulo das orelhas. O laringoespasmo cedeu em poucos segundos e os pacientes tiveram evolução favorável. Unitermos: CIRURGIA: Pediátrica; COMPLICAÇÕES: Laringoespasmo. SUMMARY Soares RR, Heyden EG -Treatment of Laryngeal Spasm in Pediatric Anesthesia by Retroauricular Digital Pressure. Case Report. BACKGROUND AND OBJECTIVES: Problems with pediatric airways are among the greatest challenges an anesthesiologist can face. Laryngeal spasm, which is twice or three times more frequent in the pediatric population, is paramount. The objective of this work was to report the treatment of laryngeal spasm applying digital pressure on a specific area behind the ear lobe. The technique is old, easy, but little known. It is safe and can be promptly done, and does not require peripheral venous access, which might not be present in some situations. CASE REPORT: We report two cases of pediatric anesthesia, in a three-year old and six month-old patients, who developed laryngeal spasm. Both patients were treated by applying retroauricular digital pressure with immediate improvement of the breathing pattern and arterial oxygen saturation. Since laryngeal spasm is a common and potentially severe complication due to its morbimortality, it requires a safe, effective, and fast treatment. CONCLUSION: The classical treatment of laryngeal spasm includes the administration of 100% oxygen with positive pressure per ventilatory unit (balloon and mask) and, in the absence of response, intravenous succinylcholine, 0.25 to 1 mg.kg -1 . The technique presented here for the treatment of laryngeal spasm is easy to perform, safe and effective, and consists of bilateral digital pressure behind the ear lobes, which reversed the laryngeal spasm in a few seconds, avoiding the development of complications.
doi:10.1590/s0034-70942008000600008 pmid:19082410 fatcat:mhljuwppq5ej5hwdr65egrnnki