PREVALÊNCIA DE ANTICORPOS CONTRA LEPTOSPIRA SPP. EM BOVINOS, CANINOS, EQUINOS, OVINOS E SUÍNOS DO MUNICÍPIO DE JAGUAPITÃ, ESTADO DO PARANÁ, BRASIL

V.Y. Hashimoto, J.L. Garcia, K.A.H. Spohr, F.G. da Silva, L.A. Alves, J.C. de Freitas
2010 Arquivos do Instituto Biológico  
RESUMO O objetivo deste trabalho foi determinar a prevalência de anticorpos contra Leptospira spp. em bovinos, caninos, equinos, ovinos e suínos, oriundos de 40 propriedades localizadas na área rural do Município de Jaguapitã, Estado do Paraná. Foram colhidas amostras de sangue de 370 bovinos, 161 equinos, 70 ovinos, 230 suínos e 97 caninos. O número de animais testados em cada propriedade, assim como o número de propriedades, foi determinado utilizando-se o programa Epi-info versão 6. As
more » ... versão 6. As amostras de soros obtidas foram submetidas à prova de soroaglutinação microscópica (SAM) com 22 sorovares de Leptospira spp. Das 40 propriedades rurais pesquisadas, 38 (95,00%) tiveram pelo menos um animal sororeagente na SAM e dos 928 animais estudados, 316 (34,08%) apresentaram títulos ? 100. A prevalência observada na espécie bovina foi de 42,43%, com 87,18% das propriedades apresentando pelo menos um animal sororeagente. As prevalências de animais e propriedades reagentes para as demais espécies foram, respectivamente, 48,44% e 87,18% para equinos; 38,57% e 100% para ovinos; 18,70% e 28,00% para suínos; 11,34% e 31,25% para cães. O sorovar mais provável encontrado em bovinos foi Hardjo, em equinos Castellonis e Sentot, em ovinos, suínos e cães Icterohaemorrhagiae. Os resultados obtidos neste trabalho demonstram que as cinco espécies animais estudadas na área rural do Município de Jaguapitã tiveram contato com vários sorovares de Leptospira spp. Além disso, os resultados sorológicos sugerem uma possível transmissão do micro-organismo entre espécies animais, provavelmente em decorrência da exposição às mesmas fontes de infecção entre os animais estudados.
doi:10.1590/1808-1657v77p5212010 fatcat:gplysuu6ingkdc5wyjwjqam6ja