Pioderma gangrenoso: um desafio para o cirurgião plástico

FRANCISCO FELIPE GÓIS DE OLIVEIRA, MARIANA FERNANDES, ANA MARIA NOGUEIRA GIACOIA, OSVALDO SALDANHA FILHO, MARCOS RICARDO MENEGAZZO, EUGÊNIO GONZALEZ CAÇÃO, OSVALDO SALDANHA
2018 Revista Brasileira de Cirurgia Plástica  
Introdução: O pioderma gangrenoso (PG) corresponde a uma dermatose autoimune crônica e rara. Sua base etiológica ainda permanece pouco conhecida, sendo idiopático em 25 a 50% dos casos, nos demais está associado com doenças sistêmicas de fundo autoimune, tem uma incidência de 2 a 3 casos em 1 milhão de habitantes por ano. No Brasil, este índice é de 0,38 casos por 10.000 atendimentos, as mais acometidas são as mulheres entre a segunda e quinta década de vida. O quadro clínico é variável, sendo
more » ... é variável, sendo que a forma ulcerosa, que surge sobre uma cicatriz prévia, é a mais prevalente. Relato de Caso: Paciente do sexo feminino, 39 anos de idade, previamente hígida, foi submetida à mamoplastia redutora, evoluiu com úlcera necrótica em cicatriz vertical de mama esquerda. Realizado desbridamento de tecidos desvitalizados, prescrita antibioticoterapia, apresentando piora importante da lesão, sendo considerada a hipótese de PG. Iniciado tratamento com corticoterapia oral e tópica com remissão do quadro. Conclusões: O PG representa um desafio no diagnóstico e, geralmente, demonstra a dificuldade diagnóstica, podendo ser confundido com infecção do sítio cirúrgico. ■ RESUMO
doi:10.5935/2177-1235.2018rbcp0156 fatcat:pz6u3rzrsvcyvmrmylwimvljoq