A intersubjetividade a partir das relações espaciais em Jean-Paul Sartre

Lucrecia Corbella
2015 Revista Filosófica de Coimbra  
A navegação consulta e descarregamento dos títulos inseridos nas Bibliotecas Digitais UC Digitalis, UC Pombalina e UC Impactum, pressupõem a aceitação plena e sem reservas dos Termos e Condições de Uso destas Bibliotecas Digitais, disponíveis em https://digitalis.uc.pt/pt-pt/termos. Conforme exposto nos referidos Termos e Condições de Uso, o descarregamento de títulos de acesso restrito requer uma licença válida de autorização devendo o utilizador aceder ao(s) documento(s) a partir de um
more » ... partir de um endereço de IP da instituição detentora da supramencionada licença. Ao utilizador é apenas permitido o descarregamento para uso pessoal, pelo que o emprego do(s) título(s) descarregado(s) para outro fim, designadamente comercial, carece de autorização do respetivo autor ou editor da obra. Na medida em que todas as obras da UC Digitalis se encontram protegidas pelo Código do Direito de Autor e Direitos Conexos e demais legislação aplicável, toda a cópia, parcial ou total, deste documento, nos casos em que é legalmente admitida, deverá conter ou fazer-se acompanhar por este aviso. Resumo: Este artigo visa compreender a intersubjetividade a partir da fenomenologia da espacialidade que Sartre desenvolve de forma algo esparsa ao longo de sua obra. Desde logo, com implicações para a própria constituição do ego. É, com efeito, a partir das proximidades e distanciamentos com os objetos do mundo e com os outros que neles descobrimos que os limites do nosso corpo adquirem uma dimensão própria e o Ego se reconhece num mundo onde é encontrável. Ego, intersubjetividade e mundo não dispensam, pois, uma referência à espacialização como materialidade por que se particulariza de modo concreto a alteridade. Palavras-chave: intersubjetividade, espacialidade fenomenológica, Jean-Paul Sartre. Abstract: This article aims at understanding inter-subjectivity from the point of view of the phenomenology of spatiality developed throughout Sartre's work somehow sparsely. Implicating primarily the constitution of the Ego. From proximities and distances to the objects of the world and to others the limits of our body acquire their own dimension and the Ego is recognized in a world where it can be found. Ego, inter-subjectivity and world cannot be disconnected from a reference to spatialization as materiality in which otherness is particularized in a concrete way.
doi:10.14195/0872-0851_48_6 fatcat:cs3mnfhljfbwhcpz6g2mhwccpa