SALÁRIOS E DEMANDA AGREGADA EM KEYNES, KALECKI E MARX*

Fee Ensaios, Porto Alegre
1983 unpublished
Ê antiga a discussão, na teoria econômica, sobre a redução do salário como maneira de aumentar o nível de emprego. Há quase cinqüenta anos, Kalecki' e Keynes,'^ separadamente, criticaram fortemente a teoria neoclássica do salário, argumentando que tal teoria estava errada, precisamente porque fora construída sem uma correspondente teoria da demanda agregada. Segundo eles, o problema devia-se ao pressuposto neoclássico de um valor constante (estável) da demanda agregada.^ Kalecki considerou esse
more » ... cki considerou esse pressuposto "to-talmente infundado",'* ao passo que Keynes não poderia ser mais explícito ao afirmar que: "Muito embora ninguém pretendesse negar que a redução dos salários nomi-nais, mantida constante a demanda efetiva agregada, esteja relacionada ao aumento do emprego, o problema em discussão é, precisamente, saber se a redução dos salários nominais será ou não acompanhada pela mesma deman-da agregada.. Se é verdade que uma redução dos salários nominais, que os deixe no mesmo nível da demanda agregada corrente, fará aumentar o emprego, o mesmo não ocorre se a demanda agregada decrescer. A análise feita por Kalecki e Keynes, notadamente por Kalecki, revela a base enganosa sobre a qual a teoria neoclássica foi construída.
fatcat:oo3enwjh3vcctpxkchpwkltrxy