PLANTIO DE ESPÉCIES NATIVAS PARA RESTAURAÇÃO DE ÁREAS EM UNIDADES DE CONSERVAÇÃO: UM ESTUDO DE CASO NO SUL DO BRASIL

Suzane Bevilacqua Marcuzzo, Maristela Machado Araújo, Ezequiel Gasparin
2014 FLORESTA  
Este estudo buscou identificar espécies nativas potenciais para restauração de áreas degradadas em diferentes métodos de preparo de solo. O experimento foi implantado no Parque Estadual Quarta Colônia, RS, em blocos casualizados. No plantio, foi utilizado o modelo que considera espécies de preenchimento, juntamente com espécies de diversidade. Tratamentos: T1 - cova + plantio de espécies arbóreas (grupo de preenchimento - GP e de diversidade - GD); T2 - cova + plantio de espécies arbóreas +
more » ... cies arbóreas + leguminosa (Vicia sativa); T3 - subsolagem + plantio de espécies arbóreas; e T4 - subsolagem + plantio de espécies arbóreas + leguminosa. As variáveis observadas, diâmetro do coleto, altura e mortalidade, foram submetidas a análise de variância. Para as 13 espécies arbóreas, as mesmas variáveis, além do diâmetro de copa, foram submetidas ao teste de Kruskal-Wallis. Constatou-se que o uso de subsolagem foi o melhor método, indiferentemente ao uso de leguminosa. Enterolobium contortisiliquum, Schinus terebinthifolius e Inga vera são indicadas para compor o grupo de preenchimento, enquanto que as espécies utilizadas para formar o grupo de diversidade devem ser introduzidas após a cobertura parcial do dossel, considerando necessitarem de ambiente mais favorável.Palavras-chave: Áreas protegidas; espécies arbóreas; grupos sucessionais; preparo de solo. AbstractPlanting species to restore protected areas: a case study in Southern Brazil. This research aims to identify potential native species for restoration of degraded areas regarding different soil preparation techniques. The experiment was developed in the Quarta Colônia State Park, RS, in randomized blocks. In planting, it was applied the model that considers fast growth and diversity species groups. The treatments: T1- hole + planting of tree species (fill group - GP and of diversity group - GD); T2 – hole + tree species planting + legume (Vicia sativa); T3- subsoiling + tree species planting; and T4 - subsoiling + tree species planting + legume. Observed variables, which include collect diameter, height and mortality, were submitted to analysis of variance. In relation to the 13 tree species, we submitted the same variables, plus crown diameter to the Kruskal -Wallis test. As result, subsoiling was the best method, indifferent to the use of legume. Enterolobium contortisiliquum, Schinus terebinthifolius and Inga vera are indicated to compose the fill group, while the species of the diversity group should be introduced after partial canopy coverage, considering they need more propitious environmental conditions.Keywords: Protected area; successional groups; soil preparation.
doi:10.5380/rf.v45i1.32763 fatcat:wox6rhahqfeshjjmtxgybihcwy