Prevalência e fatores associados à realização de exames de rastreamento para câncer de próstata em idosos de Juiz de Fora, MG, Brasil

Lívia Maria Santiago, Laércio Lima Luz, João Francisco Santos da Silva, Inês Echenique Mattos
2013 Ciência & Saúde Coletiva  
Pouco se conhece sobre as práticas de rastreamento para câncer de próstata em idosos brasileiros. O objetivo deste estudo foi estimar a prevalência de realização de exames de rastreamento para câncer de próstata em idosos de Juiz de Fora (MG) e analisar os fatores associados. Trata-se de estudo seccional com 2825 homens de 60 anos ou mais que participaram da campanha de vacinação contra gripe de 2006. Foram analisadas variáveis sociodemográficas e relativas a condições de saúde e ao uso de
more » ... de e ao uso de serviços de saúde. Utilizou-se a regressão de Poisson na análise multivariada para avaliar associações entre as covariáveis e as variáveis dependentes e estimou-se a prevalência de realização dos exames. A idade média da população foi de 70,0 (± 7,2) anos. A prevalência de realização de toque retal foi 61,0% e a de PSA 75,5%. As variáveis "história familiar de câncer de próstata", "tipo de serviço de saúde", "status conjugal", "uso de medicação regular" e "escolaridade" foram fatores independentes associados à realização de toque retal. As mesmas variáveis, com exceção do "status conjugal", permaneceram no modelo múltiplo para PSA. O estudo evidencia que muitos idosos têm aderido à prática do rastreamento e a necessidade de dimensionar e qualificar esse processo, tendo em vista suas possíveis repercussões na saúde pública.
doi:10.1590/s1413-81232013001200010 pmid:24263870 fatcat:6utdgao5xzffzlbbuuke4wofha