Sincronia interespecífica de uma assembléia local de anuros no Brasil Central: efeitos da filogenia e padrões reprodutivos

Luis Mauricio Bini, José Alexandre Felizola Diniz Filho, Rogerio Pereira Bastos, Marcia Christianne de Souza, Josana De Castro Peixoto, Thiago Fernando L. Valle de Britto Rangel
2003 Acta Scientiarum : Biological Sciences  
RESUMO. O objetivo desse trabalho foi o de avaliar a influência da autocorrelação espacial (ausência de independência estatística de observações obtidas ao longo do espaço geográfico) nos estudos ecológicos. Para tanto, uma avaliação dos trabalhos que empregaram os métodos necessários para a quantificação da autocorrelação espacial foi realizada, utilizando os dados fornecidos pelo "Institute for Scientific Information". Os resultados demonstraram que existe uma tendência crescente da
more » ... scente da utilização das análises de autocorrelação espacial em estudos ecológicos, e que a presença de autocorrelação espacial significativa foi detectada na maior parte dos estudos. Além disso, esses estudos foram desenvolvidos em vários países, por cientistas de diferentes nacionalidades, com diferentes grupos de organismos e em diferentes tipos de ecossistemas. Dessa forma, pode-se considerar que o reconhecimento explícito da estrutura espacial dos processos naturais, por meio da análise da autocorrelação espacial, é um novo paradigma dos estudos ecológicos. Palavras-chave: ecologia, paradigma, autocorrelação espacial, bibliometria. ABSTRACT. Quantitative analysis of the influence of a new ecological paradigm: spatial autocorrelation. The aim of this paper was to evaluate the influence of the spatial autocorrelation (absence of independence among observations gathered along geographical space) in ecological studies. For this task, an evaluation of the studies that used spatial autocorrelation analysis was carried out using the data furnished by the Institute for Scientific Information. There is a positive temporal tendency in the number of studies that used spatial autocorrelation analysis. A significant autocorrelation was detected in most studies. Moreover, scientist of several nationalities carried out these studies in different countries, with different organisms and in different types of ecosystems. In this way, it is possible to consider that the explicit incorporation of the spatial structure of natural processes, through the autocorrelation analysis, is a new ecological paradigm.
doi:10.4025/actascibiolsci.v25i1.2114 fatcat:i2gsyovfqnasdpmnuuva5eeas4