Diversity of bees and their floral resources at altitudinal areas in the Southern Espinhaço Range, Minas Gerais, Brazil

Vinícius A. Araújo, Yasmine Antonini, Ana P.A. Araújo
2006 Neotropical Entomology  
Diversidade de Abelhas e suas Fontes Florais em Campos Altitudinais, na Porção Sul da Cadeia do Espinhaço, MG RESUMO -A porção sul da Cadeia do Espinhaço apresenta amplas áreas cobertas por campos altitudinais tropicais, quartizíticos ou metalíferos. Esses ecossistemas estão extremamente ameaçados, devido ao alto impacto antrópico, como a mineração e a urbanização. Nesse estudo inventariou-se a fauna e flora apícola durante um ano em uma área de campo rupestre (Serra de Ouro Branco) e durante
more » ... Branco) e durante dois anos em uma área de canga (Ouro Preto). Foram realizadas coletadas quinzenais de 8:00h às 17:00h. Foram coletados 677 indivíduos pertencentes a 91 espécies de abelhas de cinco famílias. Apidae foi a família mais rica e abundante, seguida por Halictidae e Megachilidae. As abelhas visitaram 46 espécies de plantas e as famílias mais visitadas foram: Asteraceae (n = 220), Malpighiaceae (n = 95), Melastomataceae (n = 94), Fabaceae (n = 78), e Solanaceae (n = 63). A região de Ouro Branco apresentou maior diversidade (H = 1,47) que Ouro Preto (H = 1,17). A baixa riqueza e abundância de abelhas, quando comparada a outras regiões de cerrado, podem ser atribuídas aos fatores ambientais das áreas de estudo: alta altitude, temperatura e disponibilidade de recursos florais. Áreas de canga e campo rupestre abrigam espécies raras e ameaçadas de extinção da fauna e flora. Áreas no sul do Espinhaço podem, entretanto, serem consideradas possíveis áreas de conservação biológica permanente. PALAVRAS-CHAVE: Apidae, cerrado, fauna de abelhas, conservação ABSTRACT -The Southern Espinhaço Range consists of large areas covered by quartzitic or metaliferous tropical altitudinal fields. The Espinhaço Range ecosystems are endangered by anthropic high impacts, particularly due to mining and urbanization. We conducted a one-year inventory of the bee flora and fauna at the quartzitic Ouro Branco Mountains and a two-year survey of the metaliferous Ouro Preto fields. The samples were collected twice a month, from 8:00 am to 5:00 pm. The bees (677) belonged to 91 species, five families. The family Apidae was the richest and most abundant, followed by the Halictidae and Megachilidae. The bees visited 46 flowering plant species; the most visited plants were the Asteraceae (n = 220), the Malpighiaceae (n = 95), the Melastomataceae (n = 94), the Fabaceae (n = 78), and the Solanaceae (n = 63). Diversity was higher in Ouro Branco (H = 1.47) than in Ouro Preto (H = 1.17). The low richness and abundance of bees in our research site when compared to other Brazilian "Cerrado" areas can be due to the high altitude, low temperature, and low availability of flowers we found. "Canga" and rupestrian areas house fauna and flora species that are rare and threatened by extinction. The southern Espinhaço areas can, therefore, be given the status of permanent biodiversity preservation area.
doi:10.1590/s1519-566x2006000100005 pmid:17352066 fatcat:53g3hyjryvbnnkdsheirxfnsou