Paisagens acolhedoras em um tempo de sutilezas: Ressonâncias da dança em uma clínica corporal em saúde mental

Ingrid Bergma da Silva Oliveira, Lucivaldo da Silva Araújo
2013 Cadernos de Terapia Ocupacional  
Resumo: A busca por construir paisagens acolhedoras em tempos de sutileza na atenção em saúde mental repousa numa escolha ética e poética de se construir uma clínica. Este artigo trata de uma pesquisa que objetivou cartografar uma clínica corporal em saúde mental que se utilizou de práticas diversas nessa perspectiva de acolhimento e sutileza, dentro de um CAPS do tipo II, em Belém, PA. Dessas práticas, no caminho metodológico que percorremos, destacamos o trabalho com Danças Circulares
more » ... Circulares Sagradas (DCS) na vivência de um Grupo de Trabalho Corporal do qual participaram 14 usuários do serviço entre os anos de 2010 e 2012. Lançamos mão da observação participante e dos registros em caderno de campo para localizar destaques na intensidade dos encontros cujas experimentações com as DCS colocamos em relevo. Os resultados evidenciam que nas rodas de DCS os usuários do serviço batalharam por seu espaço, compartilharam suas histórias, cederam e demandaram, afastando-se de quaisquer estereótipos de passividade, desmotivação ou vitimização que pudessem pairar sobre eles. À guisa de uma conclusão, as DCS subscrevem a emancipação dos dançantes de funcionamentos "esperados" para a dança, em um território que se constitui pelo dançar junto e pelo fazer com o outro que enriquece a experiência e sustenta as diferenças. As DCS no cotidiano dos CAPS reafirmam que ali não é lugar da doença mental mas da saúde mental, em que o relevo é a vida e o transtorno é apenas parte da existência. As DCS configuraram-se enquanto um lugar potencial de troca. Abstract: The quest to build cozy landscapes in times of subtleties in mental health care is based on an ethical and poetic choice to build a clinic. This study deals with research aimed at the cartography of a body treatment clinic in mental health that has used various practices in this perspective of coziness and subtleties within a Psychosocial Attendance Center (PSAC) -type II in Belém, Para state, Brazil. In the methodological path we have traveled in these practices, we would like to highlight the work with Sacred Circle Dances (SCD) in the experience of a Body Work Group involving 14 service users between 2010 and 2012. We resorted to participant observation and records in field notebook to find highlights in the intensity of meetings, especially regarding the experiments with dance. The results showed that, in Sacred Circle Dances, service users battled for their spaces, shared their stories, gave in and demanded, pulling away from any stereotype of passivity, and possible lack of motivation, or victimization. Paisagens acolhedoras em um tempo de sutilezas: Ressonâncias da dança em uma clínica corporal em saúde mental 1
doi:10.4322/cto.2013.059 fatcat:jfjczskzy5avfoklgurxvrg4gi