Dinâmica da eliminaÇão de ovos por nematódeos gastrintestinais, durante o periparto de vacas de corte, no Estado do Pará

R. B. Viana, J. P. B. Bispo, C. V. de Araújo, R. N. M. Benigno, B. M. Monteiro, S. M. Gennari
2009 Revista Brasileira de Parasitologia Veterinária  
Resumo O experimento foi realizado com o objetivo de investigar a dinâmica da infecção por nematódeos gastrintestinais em vacas no periparto. Utilizaram-se 106 vacas de corte, divididas em dois grupos: o grupo 1 (G1), constituído por 42 vacas de primeira e segunda cria; e o grupo 2, (G2) por 76 vacas de terceira cria ou mais. A partir dos 120 dias do pré-parto até os 90 dias pós-parto, coletaram-se fezes para contagens de ovos por grama de fezes (OPG) e sangue para determinação do volume
more » ... ão do volume globular e hemoglobina de cada um dos animais a intervalos mensais. Nos mesmos intervalos, avaliaram-se os escores de condição corporal (ECC). Os valores médios ± desvios-padrão de OPG para os animais do grupo 1 foram iguais a 19,4 ± 42,9, enquanto para os do grupo 2 foram de 31,1 ± 68,0 não havendo diferenças significativas entre eles, tampouco entre os valores hematológicos que permaneceram nos padrões normais para ambos os grupos. Maiores contagens de OPG foram observadas no período pós-parto, com médias de 32,5 ± 55,5 e 51,5 ± 84,8 para os grupos G1 e G2, respectivamente. Observou-se diferença significativa (p < 0,05) nos parâmetros estudados, quando foram comparados os períodos pré e pós-parto dentro de cada um dos grupos, com diminuição dos valores hemáticos e escore corporal e aumento dos valores de OPG no pós-parto. Os resultados sugerem que as vacas podem estar mais susceptíveis à infecção por nematoides desde o parto até os 90 dias pós-parto; todavia, vacas adultas, quando bem manejadas, não constituem fator importante na epidemiologia das verminoses gastrintestinais, mesmo no período pós-parto. Palavras-chave: Bovinos, helmintos, periparto, dinâmica parasitária. Abstract The experiment was conducted to investigate the dynamics of infection by gastrointestinal nematodes during the periparturition period in cows. One hundred and six beef cows were divided into two groups: G1 was formed by 42 cows of one and two parturitions, and G2 by 76 cows of three or more parturitions. From the 120 days pre partum until the 90 days post partum, feces were collected for faecal egg counts (EPG) while blood was collected to determine the packed cell volume and hemoglobin levels of each animal, with monthly intervals. In the same intervals the body condition scores (BCS) were evaluated. The mean values ± standard deviation of the EPG for G1 were equal to 19.4 ± 42.9, and for G2 31.1 ± 68.0. No significant differences were observed between G1 and G2 in relation to EPG and hematological parameters, which remained within normal patterns for both groups. The two groups had higher counts of EPG in the post partum period than in the pre partum period, with averages of 32.5 ± 55.5 and 51.5 ± 84.8 for groups G1 and G2, respectively. A significant difference (p < 0.05) in the parameters was observed when comparing the pre and post partum within each group studied resulting in declining values of blood and body score and an increase in EPG in the post partum. The results suggest that the cows may be more susceptible to infection by nematodes from giving birth up to 90 days post partum. However, adult cows, when wellmanaged, are not an important factor in the epidemiology of gastrointestinal nematodes, even in the post partum period.
doi:10.4322/rbpv.01804009 pmid:20040209 fatcat:xiv7kn5aivdidczfj6uinyjl4i