Apresentação

José Ricardo Chaves Pacheco
2017 História Revista  
Em sua famosa obra Pensando com demônios, o historiador inglês Stuart Clark (2006, p. 688-689) disse que somente era possível considerar uma dimensão política da magia porque a própria política possuiria uma dimensão mágica. Ainda que não seja um tema inédito na produção historiográfica contemporânea, as relações entre a política e o esoterismo ainda ofertam um vasto terreno a ser explorado pelos historiadores. Desde a perspectiva mais específica da história das religiões está o caso do romeno
more » ... á o caso do romeno Ioan Couliano, discípulo de Mircea Eliade, quem, em seu clássico livro Éros et magie à la Renaissance (1984), fez algumas importantes elaborações a respeito, nas quais magia, poder, erotismo e imaginação aparecem mesclados na cultura renascentista e, em geral, moderna. Podemos perceber a riqueza de tal diálogo nos mais variados recortes temporais, como por exemplo, desde a Idade Média até os nossos dias. Tal relação se apresenta das formas mais variadas, seja na construção de ferramentas de natureza esotérica para lidar com os segredos de ordem política, pelo investimento real em centros de estudos alquímicos como El Escorial, ou pelas influências esotéricas na formatação de grupos políticos, como foi o caso dos "seguidores do Vrill" e o nazismo, apenas para citar alguns casos. Estes questionamentos, por outro lado, não estão restritos ao âmbito europeu, uma vez que desde a formação de um incipiente campo esotérico na América Latina no período colonial, e sobretudo a partir da independência no século XIX, as inter-relações entre política e esoterismo são cada vez mais claras para o olho vigilante do esoterólogo. Assim, o papel da maçonaria no século XIX é um dos assuntos mais bordados nos últimos anos por parte dos novos historiadores que se focaram em estudar a presença maçônica nessa zona, como se pode apreciar na Revista de Estudios Históricos de la Masonería em Latinoamérica y el Caribe (de acesso livre na internet). Os polêmicos enfrentamentos do espiritismo com a ordem católica desde finais do século XIX e depois da teosofia contra a mesma poderosa adversária, já no começo da nova centúria, também foram notáveis em vários países da área, o que nos adverte que não se tratou de peculiaridades nacionais, mas de padrões ideológicos
doi:10.5216/hr.v22i1.49254 fatcat:ylvkbbax4bgxzezplbcx6lhv2u