Características clínicas e sociais determinantes para o idoso sair de casa

Patricia Morsch, Gustavo Nunes Pereira, Joel Hirtz do Nascimento Navarro, Margarete Diprat Trevisan, Diene Gomes Colvara Lopes, Ângelo José Gonçalves Bós
2015 Cadernos de Saúde Pública  
O estudo objetivou avaliar fatores sociais e de saúde envolvidos no fato de o idoso (60 anos ou mais) sair de casa. Foram entrevistados 5.898 idosos identificados por visita domiciliar, aleatoriamente selecionados em 59 cidades do Rio Grande de Sul, Brasil. A associação entre o desfecho e as variáveis independentes foi analisada de forma múltipla por meio de regressão logística. Fatores favorecedores à saída de idosos de casa: ser do sexo masculino, ser de faixa etária mais jovem, ser casado,
more » ... ovem, ser casado, ter artrose, realizar atividades específicas com facilidade e ter boa autopercepção de saúde. A presença de cardiopatias foi um fator negativo para sair de casa. Em face da importância da vida social na qualidade de vida e na política de envelhecimento ativo da Organização Mundial da Saúde, é fundamental considerar condições clínicas que permitem aos idosos manterem-se ativos em comunidade. Estudos como este podem auxiliar na adequação das políticas públicas para idosos, principalmente atuando em condições modificáveis, como as clínicas e funcionais.
doi:10.1590/01021-311x00053014 pmid:26083177 fatcat:dutwviawtbam3mc4dkad433nsu