Transplante de fígado: indicação e sobrevida

Orlando de Castro-e-Silva Jr, Ajith Kumar Sankarankutty, Gustavo Ribeiro de Oliveira, Eduardo Pacheco, Fernando Silva Ramalho, Karina Dal Sasso, Eduardo Tolentino, Enio David Mente, Alex Viana C. França, Ana L. C. Martinelli
2002 Acta Cirurgica Brasileira  
O sucesso dos transplantes de fígado certamente seria comprometido se a avaliação pré-operatória dos pacientes não fosse realizada de forma adequada. Isto se justifica devido ao reconhecimento de que o sucesso da cirurgia depende, em princípio, do diagnóstico da doença de base, da determinação de sua extensão e do grau de repercussão sistêmica. No final das décadas de setenta a noventa os progressos da hepatologia na identificação das hepatites virais e no manejo da ascite e da síndrome
more » ... da síndrome hepatorrenal melhoraram sobremaneira a expectativa de vida do doente portador de doença hepática crônica. Mas, sem dúvida o transplante ortotópico do fígado (TOF) foi o espetacular avanço da hepatologia moderna. Atualmente o transplante é um tratamento eficaz das hepatopatias crônicas, e o índice de sobrevivência global aos 3 anos é ao redor de 80%. É, portanto, uma alternativa de tratamento indicada nos casos terminais, onde a mortalidade com tratamentos conservadores pode atingir até 70% ao final de 12 meses. Neste artigo, os autores comentam aspectos do TOF, relacionados à indicação e a sobrevida.
doi:10.1590/s0102-86502002000900018 fatcat:n66tqm7eoze2fa3pvwvz4rvgbe