ANÁLISE CORRELACIONAL DA INTELIGÊNCIA EMOCIONAL E O RENDIMENTO ACADÊMICO DE UNIVERSITÁRIOS DA CIDADE DE SALGUEIRO-PE

Camilla Cruz da Silva, Tatyane Veras de Queiroz F da Cruz, Éverton Crístian Rodrigues de Souza, Rafaela Torres dos Santos, Glauce da Silva Guerra
2020 Blucher Engineering Proceedings   unpublished
Resumo O presente estudo tem por objetivo investigar a relação entre a Inteligência Emocional (IE) e o Rendimento Acadêmico (RA). Foi considerada como IE a habilidade de compreender e controlar as competências emocionais próprias e dos outros. O estudo da relação entre as duas variáveis é importante, pois não se pode estudar as emoções separando-as das pessoas. Logo, torna-se relevante a investigação da influência da IE sobre o RA. O objetivo do estudo é analisar a relação entre as variáveis, e
more » ... tre as variáveis, e se essa relação é estatisticamente significante. Para este estudo foram utilizados os métodos de análise fatorial confirmatória, regressão linear e análise correlacional. A amostra foi composta de 164 estudantes das Instituições de Ensino Superior (IES) da cidade de Salgueiro-PE. Os resultados obtidos mostram que alunos com RA elevado, também possuem IE elevada, mas não foi encontrada relação estatisticamente significativa, indicando a necessidade de estudos mais aprofundados. Palavras chaves: Inteligência Emocional; Rendimento Acadêmico; Análise Correlacional. Introdução A inteligência humana tem sido um tema de estudo de crescente interesse desde o século XIX. A princípio acreditava-se que a inteligência humana estava única e exclusivamente relacionada ao Quociente de Inteligência (QI), excluindo toda e qualquer influência emocional. Assim, acreditava-se que o sucesso pertencia àqueles que possuíam um QI mais elevado. De acordo com Silva et. al (2014), tal ideia foi desmitificada com a evolução da ciência, em especial da psicologia, concluindo-se que existiam diferentes fatores a determinar o sucesso de pessoas e organizações, chegando ao QE (Quociente Emocional). Assim, QI deixou de ser considerado o elemento determinante de êxito. A partir dessa conclusão começou-se o desejo de realizar pesquisas para uma maior compreensão do que seria a inteligência humana e como as emoções poderiam interferir no sucesso profissional do indivíduo. O conceito de Inteligência Emocional (IE) foi introduzido por Mayer e Salovey (1990), e se tornou famoso com a obra "Inteligência Emocional" de Daniel Goleman (1995). Mas, mesmo existindo diversos estudos ainda não há um conceito claro e definido, gerando assim controversas entre a comunidade acadêmica e científica (DE SOUSA, 2010).
doi:10.5151/viisimep-240374 fatcat:brpj4eveijfehnnke24lkj6rhi