EXÉQUIAS DOS SÉCULOS XVIII E XIX: A CELEBRAÇÃO SOLENE DA MISSA DE REQUIEM E OUTRAS PRÁTICAS RITUAIS CATÓLICAS EM HONRA AOS MORTOS

Marco Antônio Domingues Teixeira
2018 LABIRINTO  
RESUMO Desde o século IV encontram-se notícias de salmodias e celebrações cantadas em honra aos mortos na Igreja Católica. Foi, contudo no século IX em Sevilha que este ritual começou a ganhar sua forma específica. Coube a Odo, abade de Cluny, também conhecido como Santo Odilon, o Arcanjo dos Abades criar o ritual específico que ficaria conhecido como Missa de Réquiem ou Missa dos Defuntos. Entre os séculos X e XIII ele espalhou-se pela Europa ganhando suas formas estruturais permanentes. As
more » ... permanentes. As alterações ao Réquiem começariam a ser realizadas apenas no Concílio do Vaticano II (1961/2 a 1965), que suprimiu a Sequência. Em 1969, o Papa Paulo VI suprimiu toda a missa. Este artigo irá estudar a Missa de Réquiem e sua evolução, desde suas manifestações iniciais, mas concentrando-se nos séculos XVIII e XIX, auge das grandes composições e das transformações das próprias funções da liturgia no contexto de uma Europa que embora se descritianizasse, continuava amando seus ritos e tradições. Serão destacados cinco autores desses séculos, começando por Frans Jozef Kraftt, passando por Wolfgang Amadeus Mozart, Padre Maurício Nunes Garcia, Hector Berlioz e Gabriel Fauré. O objetivo é conhecer e liturgia e sua função no contexto do culto e devoção aos mortos, bem como as transformações que experimentou e os "territórios culturais que demarcou ao longo desse período". Palavras-chave: ABSTRACT Since the fourth century there have been news of psalmodies and celebrations sung in honor of the dead in the Catholic Church. It was, however, in the ninth century in Seville that this ritual began to gain its specific form. It was up to Odo, Abbot of Cluny, also known as Saint Odilon, the Archangel of the Abbots to create the specific ritual that would be known as Requiem Mass or Mass of the Dead. Between the tenth and thirteenth centuries it spread throughout Europe gaining its permanent structural forms. The changes to the Requiem would begin only at the Second Vatican Council (1961/2 to 1965), which abolished the Sequence. In 1969, Pope Paul VI suppressed the whole Mass. This article will study the Requiem Mass and its evolution from its initial manifestations, but focusing on the eighteenth and nineteenth centuries, the peak of the great compositions and transformations of the very function of the liturgy in the context of a Europe that although decritianized, continued loving their rites and traditions. Five authors from these centuries, starting with Frans Jozef Kraftt, going through Wolfgang Amadeus Mozart, Father Maurício Nunes Garcia, Hector Berlioz and Gabriel Fauré will be highlighted. The purpose is to know and liturgy and its function in the context of worship and devotion to the dead, as well as the transformations that it experienced and the "cultural territories it demarcated throughout this period."
doi:10.47209/1519-6674.v.29.n.1.p.306-328 fatcat:cxr4rfaxlva4xayhlmwscx5nty