Editorial

Sarah Feldman
2011 Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais  
E d i t o r i a l Desde 2010 duas estratégias que se complementam vêm direcionando o refinamento do projeto editorial da Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais: a internacionalização do Conselho Editorial e a formulação de uma agenda editorial, através da organização de edições temáticas. A primeira estratégia se iniciou com a incorporação ao Conselho de seis pesquisadores internacionais com efetiva interlocução com pesquisadores brasileiros, atuantes em três instituições
more » ... tuições latino-americanas -Universidad Autonoma Metropolitana (México), Universidad Nacional del Litoral (Argentina) e Pontificia Universidad Católica de Chile -, duas americanas -University of California (Berkeley) e Columbia University (Nova York), e uma européia -Sorbonne (França). Nesta edição da revista damos um salto qualitativo ao introduzir um núcleo temático resultante da chamada de textos "Um olhar sobre a América Latina". A escolha do tema da América Latina não foi fortuita, mas por se destacar como questão de pesquisa emergente que enfrenta o desafio de investigação interdisciplinar, em torno da qual vêm se organizando grupos de pesquisa, eventos e publicações, agregando pesquisadores de diferentes países do continente. Os seis textos que compõem este núcleo se destacam pela diversidade disciplinar e conceitual inerente ao campo dos estudos urbanos e regionais e por focarem questões extremamente sintonizadas com o tempo presente. Além disso, ao articular questões teóricas a objetos empíricos, os textos permitem escapar à armadilha da generalização dos processos e das condições da materialidade do território latino-americano. Ao estabelecer relações com processos sociais, econômicos, políticos e também culturais, conferem densidade ao debate, identificando as diferentes maneiras de um mesmo modo de produção se realizar "em partes específicas do planeta ou dentro de um país, associando a nova dinâmica às condições preexistentes". 1 Os dois textos iniciais atualizam o debate teórico sobre as escalas urbana, metropolitana e regional. Em Processos socioespaciais nas metrópoles de países de industrialização periférica -Reflexões sobre a produção do espaço metropolitano de Belo Horizonte, Brasil, Geraldo Magela Costa e Felipe Nunes C. Magalhães discutem os processos recentes de urbanização e metropolização no Brasil e em outros países periféricos,a partir dos conceitos da economia política da urbanização e de sua transcendência, partindo da contribuição de Henri Lefebvre sobre a produção do espaço. As rupturas e continuidades no debate regional no contexto de globalização, de mudanças tecnológicas e de novas dinâmicas de inversão e acumulação territorial do capital são discutidas em Dilemas estructurales del norte argentino -Un enfoque estilizado de tres complejos agroindustriales de la region, de Silvia Gorenstein, Martín Schorr e Gonzalo Soler, que foca as atividades intensivas em recursos naturais em três complexos agroindustriais de diferentes tradições regionais no norte de Argentina. As migrações de populações indígenas para as cidades são abordadas nos textos de Liliana Ester Tamagno e Carolina Andrea Maidana e de Marcelo Argenta Câmara. O primeiro, Grandes urbes y nuevas visibilidades de la diversidad, discute os processos de territorialização relacionados às migrações indígenas para a área metropolitana de Buenos Aires, e as respostas desta população às condições de vida urbana. O segundo, Juntas vecinales de El Alto -Memórias campesino-sindicais na constituição do protagonismo social, analisa a constituição dos movimentos sociais urbanos em El Alto, na Bolívia, e sua importância para os processos políticos do país ao longo da última década, em especial, a Guerra do Gás de 2003, enfatizando os processos de re-territorialização das práticas sociais aymaras e mineiras no espaço urbano boliviano.
doi:10.22296/2317-1529.2011v13n1p5 fatcat:5g3x4d6njbg2bigxlyrcwfapta