As microescalas do Desenvolvimento Regional: reflexões sobre o Direito à Cidade de Pessoas LGBTQI+

Mariana Barbosa de Souza, Marcio Jose Ornat
2020 International Journal of Professional Business Review  
Objetivo: compreender a relação entre a concepção de desenvolvimento regional, segundo um caminho decolonial, e a vivência cotidiana de pessoas LGBTQI+ (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros, Queer, Intersexuais e outras possibilidades de identidade de gênero e orientação afetiva-sexual), relacionando-as com o Direito à Cidade. Metodologia/abordagem: A metodologia empregada baseia-se especialmente em contraposições de análises de autores e autoras e a abordagem
more » ... e a abordagem teórica adotada parte do conhecimento decolonial, envolvendo teorizações combinadas. Originalidade/Relevância:: A sua originalidade e relevância são justificadas pela desvinculação da produção teórica do modelo hegemônico, em favor de um pensamento que permita vislumbrar outros modos de vida, relacionados às pessoas LGBTQI+, o que também se apresenta enquanto uma contribuição social. Principais resultados: Como resultado constatou-se que a efetivação do Direito à Cidade da população LGBTQI+ perpassa por questões que vão além da segurança e do combate à LGBTfobia, porque o Direito à Cidade é amplo. Emerge a necessidade de pensar políticas públicas, ações e mecanismos de transformação social e outras pesquisas que discutam o tema. Contribuições teóricas/metodológicas : Teoricamente e metodologicamente evidenciou-se que o desenvolvimento regional tem de ser compreendido para além de indicadores econômicos e que a categoria gênero mostra-se enquanto uma elaboração social e cultural, sobretudo quando pensada a partir da decolonialidade. Palavras-chave: Gênero. Desenvolvimento Regional. LGBTQI+. Direito à Cidade. Como Citar (APA)_______________________________________________________________________ Souza, M., & Ornat, M. (2020). As Microescalas do Desenvolvimento Regional: Reflexões sobre o Direito à Abstract Objective -to understand the relationship between the concept of regional development, according to a decolonial path, and the daily experience of LGBTQI+ people (Lesbians, Gays, Bisexuals, Transvestites, Transsexuals and Transgender, Queer, Intersexuals and other possibilities of gender identity and affective-sexual orientation), relating them to the Right to the City. Methodology/approach: The method used is especially on oppositions of authors' and authors' analyses and the theoretical approach adopted is part of decolonial knowledge, involving joined theorizations. Originality/Relevance: Its originality and relevance are by the decoupling of the theoretical production from the hegemonic model, in favor of a thought that allows for a glimpse of other modes of life, related to LGBTQI+ people, which also presents itself as a social contribution. Main results: As a result it has been found that the realization of the Right to the City of the LGBTQI+ population goes beyond issues of security and combating LGBTophobia, because the Right to the City is broad. The need to think about public policies, actions and mechanisms for social transformation and other research that discuss the issue arises. Theoretical/methodological contributions: Theoretically and methodologically it has been shown that regional development must be understood beyond economic indicators and that the gender group is shown as a social and cultural elaboration, especially when thought of from decoloniality.
doi:10.26668/businessreview/2020.v5i1.166 fatcat:nwvpalq3izco5mxm36tvtrjyei