Reflexões sobre as políticas de gestão de recursos humanos

Fellipe Coelho-Lima, Camila Costa Torres
2011 Cadernos de Psicologia Social do Trabalho  
O objetivo desse trabalho foi levantar o atual discurso empresarial sobre as políticas de gestão de recursos humanos e compreender suas consequências para a classe trabalhadora. A revisão bibliográfica elegeu algumas obras que retratavam o discurso empresarial e as críticas a este. Identificou-se que as políticas de gestão de recursos humanos são voltadas para a estratégia e a competitividade empresarial, alinhando os membros da empresa com a política da empresa, utilizando-se das competências
more » ... e das competências dos trabalhadores para concorrência da empresa. O discurso empresarial defende a autonomia e o desenvolvimento pessoal do trabalhador e a flexibilização das relações de trabalho. A crítica a esse discurso aponta que a autonomia defendida é limitada à resolução de problemas de produção. Os projetos de desenvolvimento pessoal dentro das organizações interferem nas subjetividades dos trabalhadores, havendo um severo rebatimento dessas propostas sobre a saúde do trabalhador e da sua alienação sobre a consciência de classe. O estudo indica dois caminhos para discussão: o da evidenciação das políticas de gestão de recursos humanos como um possível lugar de lutas e conquistas para os trabalhadores e a necessidade de os psicólogos assumirem ações politizadas. Palavras-chave: Políticas de gestão de recursos humanos, Discurso empresarial, Alienação do trabalhador. Reflections on human resources policies This paper aimed to research the current business discourse about the human resources policies and understand the consequences of those to the working class. A literature review was held and some works, that portrayed the business discourse and the criticisms directed to it, were selected. Being found that the human resources policies are geared towards the strategy and organizational competitiveness, aligning the member of the organization with the company strategy and using the workers' competences as competitiveness to the corporation. The business discourse defends the autonomy of the workers, the personal development of the employee and the flexibility of the working relations. The critic about this discourse indicates that the autonomy defended is limited to the solution of problems on production. The personal development projects inside the organization interfere in the subjectivities of the workers, happening a severe bounce of these proposals about the workers' health and their alienation about the class consciousness. The study indicates two paths for discussion: the disclosure of the human resources policies as a possible place of struggle and achievements for the workers, and the urge of the psychologists to take political actions.
doi:10.11606/issn.1981-0490.v14i2p227-240 fatcat:hckhpddb2nhh3gukrkntiyvcy4