Susceptibilidade à corrosão intergranular e por pites do aço inoxidável austenítico AISI 347 soldado e solubilizado

Gabriela Paula De Souza, Luis Augusto Hernandez Terrones
2020 Perspectivas Online : Exatas e Engenharias  
A susceptibilidade ao ataque intergranular e por pites nos aços inoxidáveis austeníticos é resultado do fenômeno de sensitização, que ocorre quando esses aços são utilizados em temperaturas entre 480-815 °C. Neste trabalho foi avaliada a susceptibilidade à corrosão intergranular e por pites de amostras de aço inoxidável austenítico AISI 347 nas condições: soldado sem tratamento térmico, soldado e solubilizado a 1060 °C por 27 min e a 950°C por 5h. Para avaliar a resistência à corrosão, foram
more » ... corrosão, foram realizados: ensaio de susceptibilidade a corrosão intergranular (de acordo com a norma ASTM 262 – 02A) e teste de resistência a corrosão por pites (de acordo com a norma ASTM G48). A caracterização microestrutural consistiu de análises por microscopia ótica confocal (MO) e, a partir das micrografias obtidas, foi quantificada a fração volumétrica dos constituíntes presentes de acordo com a norma ASTM E 562-02. Os ensaios mostraram que as amostras solubilizadas após a soldagem apresentaram uma redução de 34% p. na fração de ferrita delta presente na ZF. Na análise da susceptibilidade a corrosão intergranular, observou-se que o material soldado solubilizado a 1060°C foi o mais susceptível. Na análise da susceptibilidade à corrosão por pites, a amostra soldada solubilizada a 1060°C apresentou maior quantidade de pites profundos na face polida (concentrados principalmente na ZTA e no MB). Também foi observada a relação entre o acabamento superficial das amostras e a perda de massa: a amostra soldada solubilizada a 950°C apresentou a maior perda de massa pois possuía as piores condições de acabamento superficial.
doi:10.25242/885x102920202076 fatcat:elzlxydaybcaxorfkc7mdvrf5q