Medicalização da sociedade ou socialização da medicina? - reflexões em torno de um conceito

Laurinda Rosa Maciel
2001 História, Ciências, Saúde: Manguinhos  
LAURINDA ROSA MACIEL H ouve, de fato, um processo de medicalização da sociedade brasileira? Ou o que aconteceu foi uma socialização da medicina? Se houve, como tal processo se deu? Essas são as questões que José Leopoldo procura analisar em seu livro, levando-se em consideração a forma trabalhada por outros autores na investigação desse processo, tais como Jurandir Freire Costa, em Ordem médica e norma familiar, e Roberto Machado et alii de Danação da norma. Qual o papel da medicina legal nessa
more » ... edicina legal nessa trajetória? O livro é dividido em seis capítulos, nos quais se procurou analisar como o pensamento médico foi direcionado para objetos da vida social, tais como o crime, o sexo e a morte. O corte cronológico escolhido para análise e consideração pelo autor foi o período da Belle Époque, por possuir ampla e criteriosa reflexão científica sobre tais temas na literatura médica, tendo os médicos nesse momento feito da medicina uma 'ciência da moral'. No primeiro capítulo -'O pensamento médico entre a história, a sociologia e a medicina legal' -, José Leopoldo privilegia a análise sobre a gênese da medicina legal no Brasil e aponta o estudo de Flamínio Fávero, Evolução científica da medicina legal no Brasil, do ano de 1922, como o modelo seguido por toda uma geração, não esquecendo de citar Oscar Freire. Flamínio Fávero divide a medicina legal em três fases distintas, sendo que na última destas nomeia Nina Rodrigues como seu fundador no Brasil após 1881. Após as análises de Nina Rodrigues sobre as diferenças entre os indivíduos de raças distintas, suas idéias se tornam essenciais para a orientação médica nas formulações jurídicas. É interessante ressaltar aqui que o ano de 1881 é singular no que se refere à criação de novos campos de atuação e especialização da medicina, devido a uma grande reforma educacional nos cursos de nível superior da Corte. Assim, foram criadas novas cadeiras nos cursos de medicina, como, por exemplo, medicina legal, clínica psiquiátrica, clínica de crianças, dermatologia, partos etc. Em 'Questões médico-legais no Brasil', sua opção de construção do capítulo é bastante atraente e instigante, dando conta da pesquisa minuciosa realizada nas fontes, o que torna o texto extremamente agradável. Apresentando uma série de casos que foram singulares no período
doi:10.1590/s0104-59702001000300010 fatcat:jhto5biw7jfw3kungc754mafsu