Envolvimento parental e temperamento de crianças: uma revisão sistemática da literatura

Beatriz Schmidt, Lauren Beltrão Gomes, Carina Nunes Bossardi, Simone Dill Azeredo Bolze, Mauro Luis Vieira, Maria Aparecida Crepaldi
2019 Contextos Clínicos  
Resumo: O objetivo do estudo foi analisar a produção científica sobre as relações entre envolvimento parental e temperamento de crianças. Para tanto, realizou-se uma revisão sistemática da literatura, por meio de buscas de artigos publicados em periódicos científicos indexados, entre os anos de 2007 e 2016, nas bases de dados PsycINFO, PePSIC e SciELO. Treze estudos quantitativos preencheram os critérios delimitados. A maioria investigou famílias nucleares, em que ambos os genitores residiam
more » ... nitores residiam com o filho de até três anos de idade. Os resultados foram diversificados face à variedade dos objetivos, das amostras investigadas, dos instrumentos aplicados, bem como dos tipos de análises estatísticas realizadas. A maior parte dos estudos revelou correlações entre envolvimento e temperamento, embora as dimensões que se Envolvimento parental e temperamento de crianças: uma revisão sistemática da literatura __________________________________________________________________________________________ correlacionaram, em algumas situações, foram diferentes para mãe e pai. Evidenciouse a tendência do pai se envolver mais com crianças com temperamento difícil, possivelmente no sentido de auxiliar a mãe a lidar com os desafios atinentes à criação dos filhos nesses casos. Ainda assim, houve predominância de estudos que indicaram maior envolvimento parental, quanto mais fácil o temperamento da criança. Esses resultados encorajam a realização de pesquisas futuras sobre envolvimento parental e temperamento de crianças, sobretudo junto a famílias com diferentes configurações e no contexto brasileiro, onde não foram encontrados estudos sobre a temática. Palavras-chave: envolvimento; temperamento; relações familiares; relações paicriança. Abstract: The objective of this study was to analyze the scientific production on relations between parental involvement and child's temperament. A systematic review of the literature was conducted through the search of articles published in indexed scientific journals between 2007 and 2016, in PsycINFO, PePSIC, and SciELO databases. Thirteen quantitative studies met the designated criteria. Most of them investigated nuclear families, in which both parents lived with a child of up to three years of age. The results were diverse due to the variety of objectives, samples investigated, instruments applied, as well as the types of statistical analysis performed. Most studies revealed correlations between involvement and temperament, although the dimensions that correlated in some situations, were different for mother and father. We observed the fathers' tendency to become more involved with children with difficult temperament, possibly in the sense of helping the mother to deal with the challenges of raising children in these cases. Nevertheless, there was a predominance of studies that indicated the easier the child's temperament the greater parental involvement. These results encourage future research on parental involvement and children's temperament, especially with families with different configurations and in the Brazilian context, where studies on the subject were not found. Introdução A partir do crescente interesse pelo envolvimento paterno nas últimas décadas (Polli et al., 2016; Vieira et al., 2014) , a literatura científica tem passado a enfatizar a forma pela qual mãe e pai constroem os padrões de interação na rotina familiar, bem como as similaridades e as diferenças entre os comportamentos dos genitores 1 (Brown et al., 2011) . De acordo com Lamb et al. (1985) , o envolvimento paterno pode ser compreendido em termos de três componentes: interação, que diz respeito ao contato direto com a criança; disponibilidade, no sentido de se manter acessível à criança; e responsabilidade, 1 No presente estudo, o termo 'genitores' será utilizado para se referir à mãe e ao pai, conjuntamente. O termo 'pais' será usado exclusivamente como plural de 'pai'.
doi:10.4013/ctc.2019.121.04 fatcat:pd3ogauksvazlby7jvokzkc6fq