A sobrevivência das línguas africanas no Brasil: sua influência na linguagem popular da Bahia

Yêda Pessoa de Castro
1967 Afro-Ásia  
A cidade do Salvador, Capital do Estado da Bahia (661.026km' e 7.000.000 de habitantes), o maior Estado das regiões Leste-Nordeste do Brasil (8.511.965 kmt e mais de 80.000.000 de habitantes), tornou-se durante quatro sCculos de trAfico (séculos XVI .a XIX) o mais importante centro comercial brasileiro de escravos de Africa. Calcula-se em cinco mil por ano o número de importação, cifra esta aproximada desde quando não existem dados precisos pela falta absoluta de documentos oficiais sobre o
more » ... ficiais sobre o tráfico que. por razões econômico-financeiras, logo decretada a abolição da escravatura no Brasil (13 de maio de 1888). foram totalmente queimados por Decreto de 14 de dezembro de 1890 do Ministro da Fazenda, acaso ;m baiano, Ruy Barbosa. Hoje, a cidade da ~ã h i a , como Salvador já C tradicionalmente conhecida, é a maior cidade de população negra do Brasil, e dos seus oitocentos mil habitantes mais da metade C crioula ou mestiça de português e negro. Tal contato de culturas resultaria num processo natural-de interpretração lingüística, um dos mais notáveis aspectos de aculturação no Brasil, através do qual o Português, favorecido francamente por razões histórico--econdmicas, s6 teve a lucrar, pois longe de deixar de ser padráo de ideal lingiiístico, ganhou centenas de palavras de origem africana -os "africanismos" -que, acrescidos aos "tupinismos"vocábulos da língua tupi-guarani dos aborígenas brasileirosvieram aumentar considerhvelmente o niimero dos chamados "brasileirismos" da língua, cuja contribuição para o enriquecimento do léxico do Português em geral e do Português do Brasil em particular é inestimivel. Há uma grande quantidade de "africanismos" correntes em certas regiões do País ainda não dicionarizados. São os regionalismos dos chamados falares brasileiros, as virias modalidades de linguagem regional do Português do Brasil, De "The surviral of the African bnguages in Brazil: their influente upon the everyday speeche of Bahia". ComunicaqZo ao 11 Congrcho Internacional de Afticanistas. Dacar, .dezembro de 1968.
doi:10.9771/aa.v0i4-5.20350 fatcat:nhn2e67ngrfzxglzcgskytfpam