Memória e esquecimento: narrativa sobre imperador romano e senado

Luciane Munhoz de Omena, Pedro Paulo A. Funari
2012 História  
O presente artigo teve por objetivo fazer algumas considerações críticas sobre a relação entre a escrita do presente e a escrita do passado, tendo como ponto de partida dois eixos conceituais: memória e esquecimento em Paul Ricoeur. Compreendemos a memória como um suporte da lembrança, um suporte do passado, que, em outras palavras, designa a construção de imagens de um passado sob a insígnia de uma "memória manipulada", que são narrativas de esquecimento. A partir deste suporte analítico,
more » ... rte analítico, traçaremos algumas reflexões sobre a divisão de poderes entre o imperador e o senado, a partir do século I d. C., para analisar as variedades discursivas nos testemunhos de Sêneca e de Tácito e, nessa mesma linha, compreender a construção do discurso historiográfico contemporâneo e suas projeções do presente nos traços e nos gestos do passado, em especial, na narrativa de Tácito.
doi:10.1590/s0101-90742012000100010 fatcat:irvmxcoqzrdrjgydk4hafnl3sy