INFELIZMENTE SER FELIZ TEM SEU PREÇO: SAÍDA DO ARMÁRIO E DISCURSO DE RESISTÊNCIA DE UM MILITAR GAY

FLÁVIA CORREIA LIMA HUBER COSTA
2020 Revista escrita  
Resumo Nesse artigo será analisado o discurso de resistência de um militar gay com o objetivo de discutir as estruturas culturais que atuam da construção da homofobia no Exército. A análise se apoia no arcabouço teórico da análise de narrativa, dialogismo, masculinidade hegemônica e epistemologia do armário. Pretende-se problematizar o embate entre a aceitação legal da presença de homossexuais nos quartéis e a rejeição por parte de colegas de farda. Palavras-chave Homofobia. Militar. Armário.
more » ... Militar. Armário. Discurso. Masculinidades. 1) Introdução Bial: -Entre as mudanças importantes realizadas sob o seu comando esteve a inclusão de mulheres nos cursos militares combatentes. Quando vai chegar a vez dos gays e dos transexuais? General Villas Boas: -É isso, o Exército segue a legislação, a lei. E já temos no Exército. Tem inclusive transexuais, tem pessoas casadas com o mesmo sexo. Bial: -Mesmo em cursos de combatentes? (Cara de surpresa) General Villas Boas: -Também. Também mesmo nesses cursos. Você vê que existem, né, no Exército e não se ouve falar, né? Que tenha causado algum problema, enfim... Porque a coisa tá assimilada com naturalidade. E tá se cumprindo a lei. Bial: -Porque pra mim, eu imagino isso; um baita de um choque cultural, porque o Exército, as Forças Armadas em geral, são instituições com um machismo milenar, né? Faz parte, né? (risos) General Villas Boas: -Machismo milenar, é verdade. (risos) Bom, é... Mas veja bem, de certa forma é um choque. E a sociedade em geral não assimilou isso bem, né? Então, é natural que dentro da Força, né, isso ocorra, mas é... Nós temos o Regulamento Disciplinar, que inibe que isso ocorra. Eu não vou dizer que eventualmente não ocorra algum problema, né, Bial? Onde há seres humanos, enfim... Mas isso tá ocorrendo com absoluta naturalidade. Bial: -Mas então, como postura, como posição institucional, pode? Pode gay, pode transexual? General Villas Boas: -Pode. Bial: -Em qualquer curso militar combatente... General Villas Boas: -Pode sim.  Oficial do Exército Brasileiro, Mestre em Estudos da Linguagem pela PUC-Rio, atualmente é doutoranda pelo mesmo programa.
doi:10.17771/pucrio.escrita.46660 fatcat:fk5vsqbstrgjpfa4ydmvt7twri