Gasto energético, custo energético aeróbio e custo energético anaeróbio.DOI:10.5007/1980-0037.2011v13n6p484

Victor Machado Reis
2011 Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano  
Licença: Creative Commom Resumo -A dificuldade de cálculo do custo energético durante a maioria das atividades físicas reside no fato da solicitação energética ser mista. Importa saber identificar em que condição é possível medir ou estimar o custo energético e em que condição tal não é possível. Existe uma utilização de diferentes termos associados a esta temática como, por exemplo, gasto energético, gasto calórico, dispêndio energético, ou custo energético. O objetivo deste artigo foi
more » ... artigo foi recordar os métodos mais populares de quantificação do custo energético e propor um maior rigor na nomenclatura a usar no ensino e investigação. Parece pacífica a utilização do O 2 expirado como quantificador da energia aeróbia. Quanto à energia anaeróbia láctica, devem prosseguir estudos usando o défice de oxigénio acumulado ou o equivalente energético de lactato. O termo "gasto energético" deverá ser reservado a situações em que o exercício é quase exclusivamente aeróbio e em que é possível medir diretamente as trocas gasosas durante o esforço. Em todas as restantes situações, deverá ser usado preferencialmente o termo "custo energético", porquanto o mesmo pode ser estimado, mas não medido diretamente. Quando usado o termo "custo energético" o mesmo deve ser complementado com a identificação se tratamos da fração aeróbia, da fração anaeróbia ou de ambas. Palavras-chave: Consumo de oxigênio; Custo energético aeróbio; Custo energético anaeróbio; Gasto energético; Lactato; Metabolismo energético. Abstract -The difficulty involved in the calculation of the energy cost during most of the physical activities is related to the mixed nature of the energy elicited. Therefore, it is important to know under which exercise conditions it is possible to perform such measurements and under which conditions it is not. Several terms are often associated with this line of research, such as: energy expenditure, caloric expenditure, or energy cost. The objectives of the present study were to review the methods typically used to assess energy cost and to suggest a more precise nomenclature when teaching or conducting research on these theme. The use of expired O 2 to quantify aerobic energy seems undisputable. As to anaerobic lactic energy, more studies are required, using both blood lactate energy equivalent values and accumulated oxygen deficit. The term energy expenditure should be used only when energy release is almost fully aerobic and when direct O 2 measurement can be performed during exercise. In every other exercise conditions, the term energy cost is more suitable, as it cannot be directly assessed. Whenever energy cost is mentioned, it should be accompanied by the identification of whether aerobic fraction, anaerobic fraction, or total energy cost is considered.
doi:10.5007/1980-0037.2011v13n6p484 fatcat:zo64urgzk5dvbkd7fue5xvn6oa