Proteínas bioativas das sementes de tamarindo reduzem leptina plasmática independente da perda de peso em ratos com obesidade

Ana Heloneida De Araújo Morais, Izael De Sousa Costa, Fabiana Maria Coimbra de Carvalho
2018 Saúde (Santa Maria)  
Introdução: A obesidade caracteriza-se pelo acúmulo excessivo de gordura corporal, sendo essa responsável por elevadas concentrações de leptina. Pesquisas têm procurado adjuvantes no seu tratamento e as proteínas isoladas das sementes de tamarindo tem se destacado por possuírem atividades anti-obesidade e anti-inflamatória. Objetivos: Avaliar o efeito das proteínas de tamarindo sobre o peso, o índice de Lee e a concentração plasmática de leptina em ratos Wistar com obesidade. Metodologia:
more » ... Metodologia: Utilizaram-se três grupos (n=5) de ratos Wistar, adultos, machos e com obesidade (Índice de Lee ≥ 300). As proteínas isoladas foram oferecidas durante 10 dias, por gavagem, aos animais do grupo teste. Ao grupo com tratamento convencional foi ofertada uma dieta padrão. Os animais do terceiro grupo receberam dieta de alto índice glicêmico e carga glicêmica, a mesma utilizada para indução da obesidade. No primeiro e no décimo dia de experimento, aferiu-se o peso e foi medido o comprimento caudal dos animais para avaliação do índice de Lee. Após a eutanásia, coletou-se sangue para dosagem de leptina. Resultados: O índice de Lee e o peso não sofreram influência em ambos os tratamentos (proteínas e dieta padrão). Entretanto, as proteínas provocaram uma discreta redução do Índice de Lee [0.312 (6,1) para 0.311 (4,3)], e do peso [402 g (38.6) para 400 g (35.7)]. Quanto a dosagem de leptina, 60% dos animais do grupo teste apresentaram redução de leptina (< 0,1ng/mL). Conclusão: As proteínas isoladas de tamarindo reduziram a leptina plasmática independente da perda de peso em ratos com obesidade, despontando como promissoras no estudo do tratamento da obesidade.
doi:10.5902/2236583433094 fatcat:syvktir62je6ppm3kx6b7cprrq