Alterações sexuais na epilepsia: resultados de uma avaliação multidisciplinar

HELGA C. ALMEIDA SILVA, MARGARETE J. CARVALHO, CARMEM L. JORGE, MALEBRANCHE B. CUNHA NETO, PLÍNIO M. GOES, ELZA M.T. YACUBIAN
1999 Arquivos de Neuro-Psiquiatria  
Onze pacientes do sexo masculino com epilepsia e queixa de alteração sexual foram submetidos a avaliação multidisciplinar. A média de idade foi 27 anos (20-34), a duração média da epilepsia foi 19 anos (0,5-32) e a frequência média das crises foi duas por semana (0-7). Dez pacientes apresentavam crises parciais e um, mioclônicas. Dez pacientes recebiam drogas antiepilépticas (difenil-hidantoína - 1, carbamazepina - 8, clonazepam - 3, clobazam - 2, valproato - 3, vigabatrina - 1). Segundo os
more » ... 1). Segundo os critérios do DSM III -- R, as queixas foram disfunção erétil (9), redução da libido (4), froteurismo (4), inibição do orgasmo (3), ejaculação precoce (3), fetichismo (2), voyeurismo (2), exibicionismo (2), pedofilia (1) e aversão sexual (1). A avaliação endocrinológica mostrou hipogonadismo hipogonadotrófico em dois pacientes. A avaliação urológica revelou disfunção erétil orgânica em outros dois. Em um paciente a alteração sexual foi considerada psicogênica. Em seis pacientes não foi possível estabelecer diagnóstico etiológico definitivo. Este estudo mostra que a alteração da sexualidade na epilepsia é multifatorial e necessita de abordagem multidisciplinar.
doi:10.1590/s0004-282x1999000500011 fatcat:kujmiymwjbbirhjqbwsgawsnrq