Seasonal and ontogenetic diet patterns of the freshwater pufferfish Colomesus asellus (Müller & Troschel, 1849) in the upper-middle Tocantins River

Renata Bartolette, Daniela Cristina Oliveira Rosa, Bruno Eleres Soares, Danielle Antunes Beserra, Miriam Pilz Albrecht, Marcelo Fulgêncio Guedes Brito
2018 Acta Scientiarum : Biological Sciences  
We described the feeding habits of Colomesus asellus from riverbanks of the upper-middle Tocantins River, Central Brazil. Two sampling expeditions were carried out in August (dry season) and in October (rainy season) of 2013, downstream from the Lajeado Hydroelectric Power Plant, Tocantins state. The diet of C. asellus was characterized and compared between juveniles and adults and between individuals captured in the dry season and in the rainy season. Individuals exhibited marked temporal
more » ... arked temporal segregation, with a predominance of adults on the riverbanks during the dry season and the predominance of juveniles in the rainy season. The diet of this species was based on diverse benthic prey, mostly Ephemeroptera nymphs (Insecta). Contrary to our expectations, the diet composition of C. asellus was not influenced by seasonal changes or ontogenetic factors, but the size of individuals determined the number of prey consumed. Thus, C. asellus can be classified in its trophic ecology as an insectivore without relation with fish size and seasonality. Padrões sazonais e ontogenéticos da dieta do baiacu de água doce Colomesus asellus (Müller & Troschel, 1849) no alto-médio rio Tocantins RESUMO. Descrevemos os hábitos alimentares de Colomesus asellus capturados nas margens do rio Tocantins, Brasil Central. Duas expedições de coleta foram realizadas em agosto (estação seca) e em outubro (estação chuvosa) de 2013, a jusante da Usina Hidrelétrica de Lajeado, Estado do Tocantins. A dieta de C. asellus foi caracterizada e comparada entre juvenis e adultos e entre indivíduos capturados na estação seca e na estação chuvosa. Os indivíduos apresentaram marcada segregação temporal, com predominância de adultos nas margens do rio durante a estação seca e predominância de juvenis na estação chuvosa. A dieta desta espécie foi baseada em diversas presas bentônicas, principalmente ninfas de Ephemeroptera (Insecta). Contrariamente às nossas expectativas, a composição da dieta de C. asellus não foi influenciada por mudanças sazonais ou fatores ontogenéticos, mas o tamanho dos indivíduos determinou o número de presas consumidas. Assim, a espécie pode ser classificada como insetívora, sem variação em sua ecologia trófica relacionada à sazonalidade do ambiente ou ao seu tamanho. Palavras-chave: ecologia trófica; presas bentônicas; insetívoro.
doi:10.4025/actascibiolsci.v40i1.35282 fatcat:qtapit4mszba7ozfkcpjozyiqe