APLICAÇÃO DE ESPECTROSCOPIA NO INFRAVERMELHO: COMO FERRAMENTA PARA ANÁLISE QUANTITATIVA DE ORÉGANO

Vitória Fontes, Douglas Cubas Pereira, Breno Pupin, Kumiko Koibuchi Sakane
2020 Revista UniVap  
Desde a antiguidade as ervas aromáticas são utilizadas, não somente para melhorar o sabor e odor em alimentos, mas também para estender o tempo de prateleira com suas propriedades antissépticas. O aumento da utilização das ervas aromáticas na culinária tem sido aprimorado praticamente no mundo todo e principalmente na gastronomia. Entre as ervas mais consumidas no Brasil, o orégano (Origanum vulgare) tem origem mediterrânea e trata-se de uma erva muito aromática, com notas de cânfora, sabor
more » ... cânfora, sabor ardido e picante. O presente estudo tem como objetivo analisar quantitativamente e qualitativamente a composição biomolecular das amostras de orégano utilizando técnicas espectroscópicas no infravermelho com transformada de Fourier (FT-IR). Com os resultados, foi possível notar diferenciação na quantidade de lignina, água e lipídio, e a análise multivariada permitiu identificar a similaridade das amostras analisadas. O uso de espectroscopia no infravermelho tem se mostrado uma ótima ferramenta na análise de alimentos, podendo ser aplicada em conjunto com outras técnicas na indústria de alimentos.
doi:10.18066/revistaunivap.v26i51.2451 fatcat:vem4a3jyhbfenhnxvka6tox3zm