Flora e estrutura da vegetação arbustivo-arbórea de uma área de caatinga do Seridó, RN, Brasil

Isaac Lucena de Amorim, Everardo V.S.B. Sampaio, Elcida de Lima Araújo
2005 Acta Botânica Brasílica  
Para testar a hipótese de que a vegetação do Seridó é aberta e de baixo porte, mesmo em local preservado, foi feito o levantamento fitossociológico de uma área na Estação Ecológica do Seridó, Serra Negra do Norte, RN, Brasil. Todas as plantas lenhosas com perímetro do caule a 1,30 m de altura do solo > 3 cm, em 100 parcelas de 10×10 m, foram contadas e tiveram alturas, perímetros do caule e diâmetros das copas medidos e biomassas aéreas estimadas. Foram encontradas 15 espécies, pertencendo a 15
more » ... s, pertencendo a 15 gêneros e 10 famílias, com índice de diversidade de Shannon de 1,94. São números mais baixos que os da maioria de outras áreas de caatinga. Mimosoideae teve o maior número de espécies (três). Todas as variáveis da estrutura da comunidade, exceto densidade (3.250 planta ha-1) também tiveram valores menores (área basal 6,1 m² ha-1, altura máxima 9,5 m, diâmetro máximo 37 cm, área de copas 8.723 m² ha-1 e biomassa 25 mg ha-1) que os de outras áreas de caatinga. O pereiro, Aspidosperma pyrifolium Mart., foi a espécie dominante, com cerca de metade dos totais de densidade, áreas basais e de copas e biomassa. Confirma-se que a vegetação lenhosa do Seridó é aberta e de baixo porte, constituindo um tipo de fisionomia de caatinga distinto dos demais.
doi:10.1590/s0102-33062005000300023 fatcat:ccf4j42dpzdjbdgezpiud7wpwq