Intoxicação aguda por organofosforado em bovinos no estado do Paraná

Emerson Sebastião Bertoni et al.
2017 Revista Acadêmica  
Resumo Os pesticidas são usados no controle de pragas na agricultura, no controle de ecto e endoparasitas dos animais em ambientes rurais e também no extermínio de insetos nos ambientes domésticos. A maioria das intoxicações é causada por uso incorreto ou por acidentes durante o manuseio ou aplicação do produto. Os organofosforados são compostos que inibem a ação da acetilcolisterase sobre a acetilcolina, provocando aumento deste neurotransmissor na fenda sináptica e estimulando receptores
more » ... ndo receptores colinérgicos nicotínicos e muscarínicos. Existem relatos de intoxicação por organofosforados nos bovinos, bubalinos, caprinos, ovinos, cães, gatos e no ser humano. Em uma pequena propriedade rural de bovinocultura leiteira e de corte na região noroeste do Paraná ocorreram 51 óbitos de bovinos, que foram intoxicados por diazinon. O diagnóstico foi obtido por meio de análise de dados clínicos e epidemiológicos. Segundo o histórico obtido, o proprietário pulverizou, com auxílio de bomba costal, 60 bovinos com produto à base de diazinon, utilizando-se de uma concentração cinco vezes maior que a recomendada na embalagem do organosforado. O procedimento foi feito por volta das 17 horas em um dia ensolarado e quente de verão. Após aproximadamente vinte minutos, os primeiros sinais clínicos foram notados. Durante as 24 horas seguintes, os bovinos, machos e fêmeas com idade variando entre 10 e 25 meses, apresentaram miose, sialorreia, timpanismo, diarreia, fasciculação muscular, prostração e decúbito. As mortes aconteceram no período de aproximadamente 24 horas. Foram tratados com atropina, em única aplicação, e somente nove sobreviveram. Outros relatos descritos associam a intoxicação a erros na diluição do produto e à ingestão acidental. Chama atenção o rápido aparecimento dos sinais clínicos, possivelmente associado à alta concentração do produto e à elevada temperatura ambiente. A venda sem receita veterinária e o uso incorreto de ectoparasiticidas ainda é um problema na pecuária brasileira.
doi:10.7213/academica.15.s02.2017.210 fatcat:37c3kpqdsnhkfjentekq4tm4km