Escolhas linguisticas e argumentação: reflexões sobre produção textual para estudantes de diret=itol

Ana Lúcia Tinoco Cabral, Manoel Francisco Guaranha
2016 Revista Diadorim  
As aulas de Língua Portuguesa nos cursos universitários têm entre seus objetivos tornar os estudantes proficientes na produção de textos adequados à especificidade da área de atuação do futuro profissional. Toda atividade profissional envolve, em algum momento, a escrita de textos argumentativos, sobretudo no caso do Direito, foco deste trabalho. Acreditamos que a elabora- ção de um texto se dá, entre outras coisas, pelo arranjo dos elementos de língua, conforme as possibilidades que a ela
more » ... ades que a ela oferece e as limitações que ela impõe; além disso, o produtor, atuando em interação, conta com a partilha de valores com o leitor para a realização de seu projeto de dizer, numa relação intersubjetiva, em determinado quadro enunciativo. Dito isso, o objetivo deste trabalho é refletir sobre a relação entre língua e texto no ensino de escrita e leitura para estudantes de Direito, destacando a importância das escolhas linguísticas para a eficácia argumentativa de um texto. Recorrendo a exemplar do contexto jurídico, a decisão STF HC 106.212, de 24/3/2011, que determinou a Constitucionalidade do artigo 41 da Lei Maria da Penha, as análises focalizam escolhas linguísticas que, na sua articulação, conferem força argumentativa aos enunciados. Orientando-nos por vertentes teóricas que concebem a língua como atividade interacional, social e cognitiva, encaramos a escrita como um processo de escolhas, combinação e organização de elementos linguísticos, visando à construção de um todo dotado de sentido. Tal postura vai ao encontro da atual abordagem teórica da LT (Linguística Textual), na qual a produção de um texto é uma atividade de linguagem sociocognitiva situada e motivada por objetivos enunciativos, e os fenômenos da argumentação alinham-se a crenças culturais, englobando: contexto, escolhas linguísticas e organização do discurso. Esta análise associa, os postulados de Ducrot (1980; 1984), a Linguística de Texto (Koch, 2004; Coirier, Gaonac'h e Passerault, 1996; Kellogg e Whiteford, 2012).
doi:10.35520/diadorim.2016.v18n2a5368 fatcat:bxgu7bgm7rc4vbc7mq52rl5l3i