O lugar de J. Grimm no CLG

Raul de Carvalho Rocha, Núbia Rabelo Bakker Faria
2019 Revista do GELNE  
No Curso de Linguística Geral (1916), F. de Saussure faz, ocasionalmente, referências explícitas aos primeiros linguistas alemães, em especial a Franz Bopp, responsável pela publicação, em 1816, da obra considerada o marco fundador dos estudos linguísticos propriamente ditos, na qual foram demonstradas as relações de parentesco entre línguas europeias e asiáticas. Jacob Grimm, a quem é atribuída a descoberta da primeira "lei fonética", entretanto, é mencionado apenas em dois momentos, em um dos
more » ... momentos, em um dos quais de forma crítica pela confusão entre letra e som presente em seu trabalho. Todavia, a importante descoberta de Grimm a respeito da mutação consonantal observada no gótico em relação ao grego, ao sânscrito e ao latim constituiu a base sobre a qual se fundamentaram os linguistas do último quartel do século XIX em seu redirecionamento dos estudos linguísticos para a fonética e para as "línguas vivas". Pretende-se com esse trabalho discutir a importância de Grimm para o advento da Linguística Indo-Europeia e demonstrar a repercussão da descoberta do autor alemão sobre o estabelecimento da disciplina em sua época e sobre os autores posteriores, incluindo o próprio Saussure, com destaque para a separação entre os estudos sincrônicos e diacrônicos, apesar das parcas menções ao autor alemão no CLG, que sugeririam uma contribuição pífia de sua parte para o estudo científico da língua. Trata-se de uma pesquisa de natureza bibliográfica, fundamentada sobretudo em Auroux et al. (2000), Campbell (1999), Morpurgo Davies (1998; 2004) e Saussure (2012 [1916]).
doi:10.21680/1517-7874.2019v21n1id16124 fatcat:etchmz6arnhcngfnaxr4vi6shm