Corporação, práticas espaciais e gestão do território

Roberto Lobato Corrêa
1992 Anuário do Instituto de Geociências  
A gestão do território constitui-se em uma faceta da gestão econômica, política e social, a ela estando subordinada, mas também condicionando-a. É a dimensão espacial do processo geral de gestão, confinando-se ao espaço sob controle de um Estado ou de uma dada empresa. Entendemos por gestão do território o conjunto de práticas que visa, no plano imediato, a criação e o controle da organização espacial. Trata-se da criação e controle das formas espaciais, suas funções e distribuição espacial,
more » ... im como de determinados processos como concentração e dispersão espacial, que conformam a organização do espaço em sua origem e dinâmica. Em última instância a gestão do território constitui poderoso meio que visa ,através da organização espacial, viabilizar a existência e reprodução da sociedade I. Como qualquer outro fato social a gestão do território possui uma historicidade que se traduz em agentes sociais e práticas espaciais historicamente variáveis. Nas sociedades de classes a gestão do território implica na criação e manutenção de diferenças espaciais através das quais as diferenças econômicas e sociais se realizam, são legitimadas e se reproduzem . Trata-se da gestão das diferenças espaciais 2 . Na fase atual do capitalismo as grandes corporações multifuncionais e multi localizadas desempenham papel fundamental na organização espacial, exercendo determinado controle sobre amplo e diferenciado território . Este controle constitui-se em um dos meios através do qual a corporação garante com máxima eficiência a acumulação de capital e a reprodução de suas condições de produção. O presente estudo pretende contribuir para o conhecimento das práticas espaciais das grandes corporações, considerando, a partir de estudo recente 3 , o grupo Souza Cruz. I. O GRUPO SOUZA CRUZ o grupo Souza Cruz é um dos maiores do país. Em 1988 era, no que se refere à receita obtida, o terceiro grupo privado, atrás da Autolatina e Shell. Considerando-se também os grupos estatais, situava-se em oitavo lugar A Companhia Souza Cruz Indústria e Comércio é a empresa "holding" do grupo, controlado pelo poderoso conglomerado londrino BAT (British American Tobacco), que em 1988 possui a mais de 150 empresas, empregava mais de 310.000 pessoas distribuídas por cerca de 90 países. O conglomerado BA T atua no setor de fumo e cigarros, celulose e papel , plásticos, instrumentos científicos, maquinário agrícola, móveis, sucos e refrigerantes, comércio atacadista e varejista (lojas departamentais), seguros e bancos, hotelaria e restaurantes do tipo "fast food" , e no setor imobiliário. Possui numerosas fazendas e importantes centros de pesquisa e desenvolvimento . No Brasil o conglomerado atua nos setores de fumo e cigarros (Companhia de Cigarros Souza Cruz e TAI3ASA), celulose e papel (Aracruz Celulose S.A., parcialmente sob controle, e Companhia Industrial de Papel Pirahy), sucos e produtos correlatos (Indústria Alimentícia 35
doi:10.11137/1992_0_35-41 fatcat:zd6x4jjiivcqbntu4xww6psw5e