Adeus à nossa professora: perde a Escola de Enfermagem Anna Nery / UFRJ

Maria Antonieta Rubio Tyrrell, Maria Cecilia Cordeiro Pedro, Isaura Setenta Porto
2006 Escola Anna Nery  
A Escola perde uma das professoras mais estimadas de seu corpo social. Em nome deste Corpo Social homenageamos sua dileta aluna, enfermeira, docente e amiga, a Professora Assistente e Mestre em Enfermagem, Maria da Conceição Gonçalves. Ela era uma pessoa tímida e valente, excepcional e ética, provida dos mais profundos sentimentos, emoções e capacidade de doação à família, aos clientes, aos amigos, à Escola e à Universidade. Além de tudo isto, Conceição tinha um compromisso com sua profissão de
more » ... om sua profissão de fé, a Enfermagem, uma responsabilidade com a formação de enfermeiras(os) de qualidade e uma inconformidade com a precarização da Universidade. A inesquecível presença em sua passagem pela Universidade deixou junto aos professores, funcionários e alunos e às autoridades desta Escola e de outras unidades da Universidade, que a conheceram e admiraram, a certeza de que seu falecimento não ficará impune, tanto quanto sua trajetória como enfermeira no Instituto de Doenças do Tórax (seu primeiro trabalho) e no Hospital Clementino Fraga Filho (seu segundo trabalho). Depois, já como professora do Depar tamento de Enfermagem Materno-Infantil, desde 1985 foi membro da equipe de coordenação da Câmara de Graduação do Conselho do Centro de Ciências da Saúde, Diretora Adjunta da Escola, atuou nas Pró-reitorias, principalmente a PR1, nas Reitoria, e Vice-reitoria, foi Substituta Eventual do Coordenador do Curso de Graduação da Escola e em outros setores da UFRJ. Nosso lamento e sofrimento pela perda irreparável de Conceição, é por quem em sua trajetória soube conduzir-se em defesa da vida, amizade, sinceridade, solidariedade, compromisso, disposição / disponibilidade, amor, presença e competência profissional. Como participante da mudança do currículo da graduação da Escola, entre os anos 1978 e 1982, ensinou em vários cenários de prática profissional e lutou veementemente por melhores condições de ensino-aprendizagem. Com uma memória prodigiosa, Conceição lembrava dos detalhes históricos e pitorescos de quase todas as situações vividas por ela na Escola e na Universidade. Sua influência no ensino de graduação da Escola, muitas vezes invisível e silenciosa e sem ocupar cargos, foi expressiva ao longo de diferentes períodos de coordenação. Tudo isto foi construído por esta professora, pois ela conquistou um reconhecimento como "doutora em solidariedade" no mundo da academia. Lembrar de sua vida profissional e suas realizações é um reconhecimento obrigatório da Instituição, frente a nossa necessidade de manter viva a sua lembrança e exemplo. Esta é a nossa homenagem "in memorian", com eterna gratidão por termos tido a oportunidade de conviver com uma pessoa rara e singular, cristã e cidadã.
doi:10.1590/s1414-81452006000100021 fatcat:qsm2hv4pzvcehlrd35enxadgxa