Reflexões sobre a poesia Slam: A coisa tá preta, de Felipe Marinho

Aline Camara Zampieri, Mariely Zambianco Soares Sousa
2020 Revista Texto Poético  
Este artigo traz algumas reflexões sobre o movimento Slam de poesia na cidade de São Paulo a partir da análise do poema A coisa tá preta (2018), do slammer Felipe Marinho. Por meio da releitura dos fatos e sua ressignificação a partir de demandas presentes na narrativa poética de Marinho, percebemos um discurso que se traduz em objeto histórico, sobressaltando a temática étnico-racial, o racismo, a negritude e o empoderamento negro.
doi:10.25094/rtp.2020n31a725 fatcat:7euu5f6wbbbztgrzgvwangiddy