Nile tilapia culture under feeding restriction in bioflocs and bioflocs plus periphyton tanks

Davi De Holanda Cavalcante, Francisco Roberto dos Santos Lima, Vanessa Tomaz Rebouças, Marcelo Vinícius do Carmo e Sá
2017 Acta Scientiarum: Animal Sciences  
Intensive aquaculture systems may cause pollution in water bodies because their effluents have high levels of nutrients. The use of substrates for periphyton and the manipulation of the C: N ratio of water are technologies that can be employed to increase aquaculture yield with environmental sustainability. The present study has aimed at determining whether feeding restriction could stimulate a greater use of natural food in three different Nile tilapia rearing systems (green water, bioflocs
more » ... water, bioflocs and biophyton), without growth performance impairment. There were nine treatments with four replicates each one (36 experimental units). The animals were raised in conventional (green water) tanks, C: N-ratio adjusted tanks (bioflocs) and bioflocs + periphyton integrated tanks (biophyton). In each culture system, the artificial diet was delivered regularly or under two levels of restriction (15 and 30%). In conventional tanks, fish growth performance was reduced by feeding restriction. Ammonia and nitrite were reduced in bioflocs tanks. Underwater structures for periphyton were not able to increase ammonia and nitrite removal. In bioflocs tanks, feeding restriction of 15% did not lessen fish weigh gain. Underwater structures for periphyton have not improved fish growth performance in any aspect. Cultivo de juvenis de tilápia do Nilo, Oreochromis niloticus em sistemas convencional, bioflocos e biofíton sob restrição alimentar RESUMO. Sistemas intensivos de aquicultura podem causar poluição de corpos hídricos, pois os efluentes gerados nesses sistemas são caracterizados pelas altas concentrações de nutrientes. O uso de substratos para perifíton e a manipulação da relação carbono: nitrogênio da água são tecnologias que podem ser empregadas no aumento da produtividade aquícola, com sustentabilidade ambiental. O presente trabalho teve por objetivo determinar se a restrição alimentar pode propiciar um maior aproveitamento do alimento natural, em três diferentes sistemas de cultivo (águas verdes, bioflocos e biofíton), sem prejuízo zootécnico. Foram constituídos nove tratamentos com quatro repetições cada um, totalizando 36 unidades experimentais. Os animais foram cultivados em tanques convencionais (águas verdes), com ajuste da relação C: N da água (bioflocos) e com integração entre bioflocos e perifíton (biofíton). Em cada sistema de cultivo, houve oferta regular ou sob restrição (15 e 30%) de ração artificial. Nos tanques convencionais, o desempenho produtivo dos peixes foi reduzido pela restrição alimentar. A presença de bioflocos reduziu a concentração de amônia e nitrito na água. A instalação das estruturas submersas em tanques com bioflocos não foi capaz de elevar a remoção de amônia e nitrito da água. Nos sistemas com bioflocos, o nível de restrição alimentar de 15% não causou prejuízo ao ganho em peso animal. A instalação de estruturas submersas para perifíton não afetou de modo significativo o peso corporal final dos peixes cultivados. Palavras-chave: aquicultura, qualidade de água, eutrofização.
doi:10.4025/actascianimsci.v39i3.33574 fatcat:hb7hwluwszgazpcbi6sfbgclie