A filosofia e o filósofo no limiar da era interplanetária

Miguel Reale
1959 Revista da Faculdade de Direito Universidade de São Paulo  
I Uma realização científica tão prodigiosa, como a dos satélites artificiais, não pode deixar de repercutir profundamente no plano filosófico, sendo impossível prever, desde logo, todas as suas conseqüências de ordem ética ou metafísica. É óbvio que, sendo próprio da Filosofia elaborar u m a cosmovisão, ou seja, u m a compreensão geral do universo e da vida, as conquistas das ciências positivas constituem sempre u m a de suas componentes essenciais. Se a Filosofia não deve ser considerada mero
more » ... r considerada mero resultado ou reflexo do saber científico, deste não pode, todavia, andar divorciado. Desse modo, o entreabrir-se da era interplanetária vem alterar alguns dos problemas até agora postos pelo homem, suscitando perguntas que, há bem pouco tempo, mal se vislumbravam na sombra da conjetura e do mistério. Toda mudança radical no plano do conhecimento do cosmos redunda, necessariamente, em alteração na problemática do h o m e m e de sua existência. A perspectiva cosmológica incide diretamente sobre a antropológica, tão certo como entre o h o m e m e o cosmos intercede u m nexo
doi:10.11606/issn.2318-8235.v54i2p132-139 fatcat:ptm65ain5fhovkaeba6nvxb67q